Campus de Guarabira forma novos profissionais em Direito, Filosofia, Geografia, História, Letras e Pedagogia

Determinação, entusiasmo e muita alegria. Esses foram os sentimentos que pautaram, nessa terça-feira (22), a cerimônia de Colação de Grau do período letivo 2016.2 das turmas concluintes do Campus III da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Guarabira, que colocou à disposição do mercado novos profissionais das áreas de Direito, Filosofia, Geografia, História, Letras e Pedagogia.

Presidida pelo reitor Antônio Guedes Rangel Junior, a solenidade foi prestigiada pelo diretor do Centro de Humanidades (CH), professor Waldeci Ferreira Chagas; pelo professor Altamir Souto Dias, pró-reitor adjunto de Graduação; pelo deputado estadual Raniery Paulino; como também por coordenadores de curso, chefes de departamento e demais professores que compõem o corpo docente do Centro de Humanidades (CH). Logo após iniciar a cerimônia, foi feito um minuto de silêncio em homenagem póstuma ao professor José Octávio da Silva, que era vinculado ao Departamento de Educação do Campus III, além de ter exercido o cargo de secretário de educação nos municípios de Mari e Caldas Brandão.

Eleita como paraninfa geral das turmas concluintes, a professora Ana Glória da Silva Marinho fez um discurso emocionante, agradecendo pela homenagem recebida ao Conselho de Centro (COC), que escolheu seu nome, e aos formandos, que acataram a decisão. Recém-aposentada, a trajetória profissional da docente se confunde com o próprio desenvolvimento administrativo e pedagógico do Campus de Guarabira, pois sua vinculação se deu desde os primeiros passos do Centro de Humanidades. A professora, que é doutora em Educação e Contemporaneidade pela Universidade do Estado da Bahia, era lotada no Departamento de Geografia, tendo a Antropologia como uma de suas disciplinas favoritas, por meio da qual transmitia seus conhecimentos, estimulava o debate crítico, argumentava em favor do respeito às diferenças culturais e defendia o direito à igualdade social.

“Primeiramente, destaco, como muito carinho e gratidão, a importância dos laços afetivos que criei durante o tempo que trabalhei neste campus. Para a nova geração de formandos, gostaria de dizer que acreditamos em vocês, na consciência dos seus trabalhos, bem como na possibilidade de que nossa esperança por um mundo mais saudável, físico e espiritualmente, seja ampliada e fortalecida, se transformando na realidade que desejamos. A educação é uma herança cultural, moral, cívica, intelectual, filosófica, política e econômica que toda sociedade tem o dever de transmitir a cada geração para garantir sua perenidade, sua dignidade e sua grandeza, contribuindo, assim, com a evolução da humanidade”, disse Ana Glória, que ainda frisou: “Ensinar é um ato de amor e luta”.

O concluinte José Ferreira dos Santos Junior, do Curso de Letras, fez a leitura do juramento, acompanhado por todos os demais concluintes. A Oradora Oficial, Raíssa Queiroga Barreto, do Curso de Pedagogia, ressaltou a vivência e os desafios dos formandos durante os quatro ou cinco anos de curso e enfatizou o orgulho pela concretização do objetivo alcançado, sem deixar de agradecer aos pais pelo incentivo e aos professores pela transmissão e compartilhamento de conhecimentos.

“A arte de sonhar não é tarefa fácil. Tantas coisas surgiram em nossos caminhos: desafios vieram, mas superações também. Guardarei a lembrança de estar falando nesta noite, com o meu coração tão fascinado pela educação. Hoje podemos dizer que somos vitoriosos, pois tenho certeza de que para muitos de vocês não foi fácil, da mesma forma que não foi para mim. Agradecemos aos professores, que nos fizeram crescer para a vida, a nossa universidade, que investiu e sonhou este sonho conosco, e aos nossos familiares e amigos, que acreditaram incondicionalmente no potencial de cada um de nós”, relatou a oradora, que recebeu das mãos do reitor um conjunto de livros publicados pela Editora da UEPB.

O diretor do CH, professor Waldedi Ferreira Chagas, parabenizou a todos e  discorreu sobre o dever moral e a consciência cidadã que deveriam ser apreendidos por cada um dos concluintes: “A universidade espera que vocês tenham uma conduta política, ética e humana para com a sociedade, seja qual for o setor onde estejam atuando. Acreditem e busquem construir um mundo melhor, mais justo e solidário. Não fiquemos à espera apenas das autoridades para que isso aconteça. É preciso que cada um faça sua parte; a universidade está fazendo a dela, delegando a vocês o conhecimento e o saber, mas, sobretudo, a capacidade de refletir criticamente sobre as coisas que acontecem em suas comunidades e no país onde vivem”.

Por sua vez, o professor Altamir Souto Dias, citando os ensinamentos dos teóricos Paulo Freire e Boaventura de Sousa Santos, destacou o processo educativo como um fator de mudanças e transformações sociais. Em fala dirigida aos formandos, disse: “Que vocês possam atravessar aquela porta imbuídos do sentimento de viver desprovidos de valores que são nocivos à sociedade, tais como: o preconceito racial e todos os tipos de discriminação. Cultivem valores que contribuam para o crescimento e o enriquecimento humano e social”.

Em seguida, houve a conferência do grau acadêmico. Priscila Maria Mororó Araújo foi a representante dos concluintes de Direito; Kívia Kelly Liberato da Costa representou o curso de Geografia; os formandos de História foram representados por Velbiane Luzia da Silva Chaves; Francis Willames Brito da Conceição recebeu o grau em nome dos concluintes de Letras; os formandos de Pedagogia foram representados por Marília Chiara da Silva; já Joelma Felinto da Silva recebeu o grau acadêmico em nome da turma de Filosofia do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR).

O reitor Rangel Júnior encerrou a cerimônia enfatizando a importância dos preceitos éticos na constituição de um profissional e de uma nação. “Vocês galgaram um degrau significante ao concluir um curso superior. É essencial, a partir dos saberes e das experiências adquiridos, se tornarem um instrumento de transformação em favor da construção de uma sociedade mais fraterna e justa. Tenham certeza de que cada um de vocês levam muito de cada um de nós que integramos esta universidade. Mas levem, sobretudo, a consciência de que deverão lutar muito. A celebração de hoje é um ponto de chegada, mas também um ponto de partida, um ciclo que recomeça. Não esqueçam da ética no desempenho de suas atividades. Aprendam a ser tolerantes, pacientes e a lutar pelo nossos direitos. Tenho convicção de que vocês vão honrar o diploma que receberam e o nome da UEPB. Honrem também seus pais, pois muito fizeram para que chegassem até aqui. Parabéns e sigam sempre em frente”, explanou o reitor.

  • Comentar