CONECTE-SE CONOSCO

Sem categoria

Gosta de Coca? Então, não se case com alguém que só toma Pepsi

Publicado há

em

Numa era em que felicidade é cada vez mais confundida com capacidade de consumir, gostar das mesmas marcas parece ter se tornado fundamental para um casamento feliz. Pelo menos é o que mostra um curioso estudo feito por cientistas da Universidade de Duke, uma das mais conceituadas dos Estados Unidos.

Basicamente, o que os autores concluíram foi: ficar muitos anos com alguém que gosta de Pepsi, enquanto sua preferência é por Coca, pode ir aos poucos corroendo seu gosto de viver, tornando você uma pessoa menos feliz. Especialmente se você é o lado “menos poderoso” (low-power) da relação, expressão que os pesquisadores usam para descrever a pessoa que não se sente capaz de influenciar o comportamento do parceiro.

O teste para descobrir se você é o lado menos poderoso é simples. Basta olhar o que entra no carrinho de supermercado. Você ama Negresco, mas o que vocês levam para casa é quase sempre Passatempo? Curte Becel, mas na geladeira só tem Doriana? Queria um Ford, mas é um Fiat que repousa na garagem? É, você é o lado menos poderoso da história. E, depois de anos assim, quase sem perceber, você se sentirá cada vez menos satisfeito.

Parece bobagem
Parece bobagem. E os pesquisadores sabem que parece mesmo. E, justamente por isso, a coisa seria tão ameaçadora. “Se você tem uma religião diferente da do seu parceiro, é capaz de essa relação terminar logo. Mas, se você gosta de Coca e seu parceiro de Pepsi, com o passar dos dias, isso pode gerar um pequeno conflito. E, se você é o lado menos poderoso da relação, que continuamente perde na escolha das marcas e fica preso à preferência do outro, você vai se tornar cada vez menos feliz”, explica, em um comunicado, a principal autora do estudo, Danielle Brick.

No artigo, publicado este mês no Journal of Consumer Research, os autores descrevem uma série de experimentos e entrevistas que fizeram com diversos casais, sendo que alguns foram acompanhados por dois anos. E garantem: as pessoas menos poderosas que tiveram de se acostumar com as marcas preferidas do companheiro registraram índices mais baixos de satisfação com a vida.

“É um efeito muito claro. Nós o identificamos várias e várias vezes”, assegura Gavan Fitzsimons, professor de marketing e psicologia na Universidade de Duke, que emenda com um conselho: “As pessoas que estão procurando por um amor, talvez devessem pensar em incluir suas marcas preferidas em seus perfis de sites de relacionamento”. Será que é pra tanto?
Correio Braziliense – BlogDaquilo

Comente com seu Facebook

Clique para comentar

Escreva sua Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sem categoria

BC libera oficialmente transferências bancárias pelo WhatsApp

Publicado há

em

Horas depois de o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, anunciar que o órgão liberaria transações pelo WhatsApp, o BC autorizou oficialmente as transferências bancárias pelo aplicativo. A decisão foi anunciada na noite desta terça-feira (30) pela autoridade monetária.

A empresa Facebook Pagamentos do Brasil, dona do WhatsApp, foi aprovada como “iniciador de transações”. As operadoras Visa e Mastercard receberam autorizações de dois arranjos de pagamentos: transferência/depósito e operações pré-pagas, em que o cliente abastece uma carteira virtual com dinheiro para gastar mais tarde.

As operações só poderão ser feitas dentro do Brasil. Transações com o exterior estão vetadas. Os pagamentos de compras por meio da plataforma Facebook Pay, que haviam sido pedidos pelas operadoras, continuam sob análise e não foram incluídos na autorização.

Em nota, o Banco Central informou que as autorizações “poderão abrir novas perspectivas de redução de custos para os usuários de serviços de pagamentos”. As transferências e as contas pré-pagas estarão disponíveis assim que o WhatsApp liberar a modalidade. Caberá ao próprio aplicativo definir as tarifas de transação.

Em junho do ano passado, o BC suspendeu o teste que o Facebook tinha começado a fazer no Brasil . Em parceria com as operadoras Visa e Mastercard, pessoas físicas e empresas poderiam usar a função pagamento dentro do aplicativo para transferirem dinheiro e fazerem pagamentos dentro do país e em reais. O BC, na época, interrompeu o serviço para verificar os riscos da nova tecnologia.

agencia brasil

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Sem categoria

Estelionatário que responde a mais de 17 processos é preso suspeito de anunciar caminhonete clonada em site de vendas em João Pessoa

Publicado há

em

De acordo com os policiais, o veículo estava na garagem do apartamento onde o suspeito mora, na cidade de João Pessoa, na Paraíba.

Guilherme Rabay foi preso novamente em João Pessoa (Foto: Polícia Civil)

Uma operação da Polícia Civil prendeu na manhã desta terça-feira (30), um homem suspeito de anunciar em um site vendas uma caminhonete clonada. De acordo com os policiais, o veículo estava na garagem do apartamento onde o suspeito mora, na cidade de João Pessoa, na Paraíba.

O empresário Guilherme Campelo Rabay Neto responde a pelo menos 17 processos, entre eles fraudes em negociação de veículos, emissão de cheques e transações bancárias fraudulentas. Ele também já foi preso por diversas vezes.

O veículo foi apreendido e será levado para a delegacia, onde o automóvel original se encontra. O homem também será encaminhado para o local.

clickpb

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Sem categoria

4 boas notícias sobre novos tratamentos em testes contra a Covid-19

Publicado há

em

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

⚡EM ALTA

Copyright © 2021 Portal Mídia Orgulhosamente criado com ❤️ por FNX CORPORATION.