CONECTE-SE CONOSCO

Destaque

Guarabira e os riscos com o Coronavirus

Publicado há

em

Por Belarmino Mariano

Em Guarabira-PB vivem apaixonadamente 58.492 mil habitantes, 352,9 hab./km2, em uma área de 165,744 km2 (IBGE, 2018). 

Faz parte da Região Imediata de Guarabira-PB e da Região Intermediária de João Pessoa, ficando a uma distância de 98 km da capital. Guarabira é um município que congrega e influencia uma área imediata com 26 municípios e uma população de aproximadamente 320 mil habitantes (IBGE, 2019).

O que representam estes dados quando estamos falando do Covid-19? Quais os riscos reais para uma população extremamente dinâmica e que não respeita totalmente, as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), nem as normas dos Governo estadual e municipal?

Ainda de acordo com dados do IBGE (2018), Estima-se que 87,5% da população vive na zona urbana, considerando essa concentração urbana, podemos deduzir que existe mais que o triplo da densidade demográfica aglomerada na cidade, pois se trata de uma cidade média e polariza mais de 320 mil habitantes, incluídos os 26 municípios vizinhos, tornando-se a cidade pólo e referência em termos de Saúde Pública e Privada. 

Os Equipamentos de saúde de Guarabira no contexto regional, são poucos, isso é muito preocupante, contando com: 01 hospital regional de média complexidade, com 86 leitos, sendo, 06 de UTI e leitos de partos; 01 Unidade de Pronto Atendimento (UPA24Hs) de baixa complexidade; 35 Unidades Básicas de Saúde (UBS); 32 postos mínimos de saúde. Existem cerca de 05 clínicas e 06 laboratórios privados, de pequenas dimensões e de pronto atendimento de baixa complexidade, além de uma dezena de consultórios com algumas especialidades.

Nos demais municípios, alguns como Pirpirituba e Araruna, estão com seus hospitais fechados e outros possuem pequenas unidades hospitalares que em alguns casos, não possuem internação e nem realizam procedimentos cirúrgicos de média complexidade, enviando os casos diretamente para Guarabira, João Pessoa ou Campina Grande. 
Podemos afirmar, sem sombras de dúvida que, estas Unidades de Saúde, mal atendem a população de Guarabira-PB, com 58 mil pessoas. Imaginem mais de 280 mil pessoas dos municípios polarizados por Guarabira-PB?

Dentro do perímetro urbano de Guarabira, existem além do Centro, 34 bairros e conjuntos habitacionais. No campo são 02 Distritos e 09 povoados rurais.
Com exceção do Bairro Novo, alguns loteamentos e condomínio privê, os demais bairros concentram população com poder aquisitivo baixo e intermediário, o que eleva a população as condições de total dependência da saúde pública.

De acordo com dados da prefeitura municipal de Guarabira (PMG),  Coordenação do Bolsa Família, no Programa da TV Mídia, existem mais de 11 mil pessoas cadastradas pelo Bolsa Família, mas predomina nos bairros, desempregados, assalariados, autônomos, alternativos, camelôs e pequenos comerciantes.

Esse lamentável quadro com poucos equipamentos urbanos de saúde pública per capta, representa o histórico descaso dos poderes públicos locais com a população mais pobre, numa cidade com grande importância socioeconômica polarizadora de áreas como Brejo, Curimataú e Agreste Setentrional.

A frágil rede de políticas públicas e uma pandemia de Covid-19 batendo em nossas portas é algo realmente assustador. 

Os dados municipais apontam para uma população vulnerável e com equipamentos e profissionais de saúde insuficientes, sem condições para atender à todos.

O pior em tudo isso é a velocidade com que o Covid-19 se propaga, enquanto vemos muitas pessoas circulando pelas ruas e se aglomerando em praças, feiras livres, portas de bancos, barzinhos e lotéricas.

Apesar de existir um público mais vulnerável, como idosos e pacientes com doenças pré-existentes, qualquer ser humano pode ser contaminado e transmitir o vírus em escala social, inclusive, sem limites de classes sociais, cor, religião, sexo, idade, pois já foram registrados muitos jovens morrendo.

Guarabira por ser um município que polariza oficialmente 26 municípios circunvizinhos, mas ao todo, podemos registrar outros, além do grande fluxo de pessoas vindas de  grandes centros como João Pessoa, Campina Grande e Natal. Nesse sentido, se torna uma região de tênues limites para a entrada de pacientes com os sintomas do Covid-19.

Outro fator de preocupação é o forte quadro migratório da região, que historicamente se tornou forte eixo de êxodo para os grandes centros como Rio de Janeiro e São Paulo, locais mais atingidos pelo Covid-19 e que, sempre registra a chegada de ônibus de viagens, trazendo pessoas das áreas mais contaminadas.

O poder público municipal, entidades sindicais, associações, empresários, fundações e ONGs precisam assistir as populações mais vulneráveis, pois além dos desempregados e trabalhadores informais, milhares de guarabirenses, vivem em habitações pequenas, precárias e insalubres.
Nestes termos, temos que apelar para as autoridades públicas locais e regionais para ações baseadas na ciência e na OMS. Precisamos impedir o relaxamento da quarentena e temos que:
#FICAREMCASA!
#FAZERHIGIENIZAÇÃO!
#USARMÁSCARAS!
#RESPEITARAVIDA!
#VivaOsProfissionaisDeSaúde
Os dados mundiais confirmam que, os países que não respeitaram o isolamento social, rapidamente se contaminaram, com milhões de infectados, milhares de mortos e o colapso do sistema de saúde dos países.

Fontes:
http://www.guarabira.pb.gov.br/tags/bolsa-familia/
https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pb/guarabira/panorama
https://biblioteca.ibge.gov.br/biblioteca-catalogo.html?id=3910&view=detalhes
https://mapas.guiamais.com.br/bairros/guarabira-pb
https://www.google.com/amp/s/www.pbagora.com.br/noticia/saude/estado-vai-avaliar-reabertura-do-hospital-de-pirpirituba/80126/%3famp=1
http://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2013/04/coren-proibe-enfermeiros-de-atuarem-na-uti-de-hospital-regional-da-paraiba.html
https://www.youtube.com/watch?v=Iy4KhUq1LX8
 

Comente com seu Facebook

Clique para comentar

Escreva sua Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Prefeitura esclarece que protocolo e cerimonial do evento foi de responsabilidade do Ministério do Desenvolvimento Regional

Publicado há

em

Por

Após a repercussão da reclamação feita pela vereadora Rosane Emídio, que segundo ela foi completamente ignorada pelo cerimonial da prefeitura de Guarabira, durante a inauguração do Residencial Jáder Pimentel na tarde desta sexta-feira (30), o cerimonial da prefeitura esclareceu que, todo o protocolo e cerimonial do evento foi de responsabilidade do Ministério do Desenvolvimento Regional, que utiliza apenas o nome do projeto do empreendimento oficial (Guarabira Residence Park I e II) e não o composto pela lei municipal.

 

Veja também:

Vereadora critica cerimonial por tê-la ignorado durante inauguração do residencial Jáder Pimentel 

 

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Destaque

Guarabira Park: contemplada diz que há 11 anos lutava para ter casa própria

Publicado há

em

Por

A dona de casa representante de uma das 400 famílias beneficiadas com um apartamento do residencial Jáder Pimentel, inaugurado na tarde desta sexta-feira (30), na cidade de Guarabira, Agreste paraibano, disse que há 11 anos lutava para ter casa própria, mas que devido às dificuldades financeiras enfrentadas por ela e o marido não tinha condições de realizar esse sonho. A revelação foi durante visita do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, que esteve no apartamento dela, inspecionando a obra que foi inaugurada nesta tarde.

O empreendimento habitacional foi construído através da parceria prefeitura municipal e governo federal.

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Destaque

Vereadora critica cerimonial por tê-la ignorado durante inauguração do residencial Jáder Pimentel

Publicado há

em

Por

Rosane Emídio - vereadora de Guarabira

Rosane Emídio – vereadora de Guarabira

A vereadora Rosane Emídio, nora do ex-prefeito de Guarabira, Jáder Soares Pimentel (in memoriam), homenageado com seu nome dado ao complexo habitacional inaugurado na tarde desta sexta-feira (30), na cidade de Guarabira, Agreste paraibano. O residencial Jáder Soares Pimentel, cujo a construção foi a través de parceria entre prefeitura e governo federal, é composto por 400 apartamentos.

Rosane é vereadora da base de oposição ao prefeito Marcus Diogo, uma das mais incisivas e críticas da administração municipal. Ela classificou como falta de respeito já que a mesma estava como representante da família Pimentel. Veja:

 

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

⚡EM ALTA

Copyright © 2021 Portal Mídia Orgulhosamente criado com ❤️ por FNX CORPORATION.