CONECTE-SE CONOSCO

Destaque

TRANSTORNOSA: Ameaça silenciosa por trás da Covid-19: o desequilíbrio da saúde mental na pandemia

Publicado há

em

A ameaça silenciosa por trás da Covid-19: o desequilíbrio da saúde mental na pandemia

Uma ameaça silenciosa ronda pessoas de todas as idades em paralelo à pandemia da Covid-19: o desequilíbrio da saúde mental. Os transtornos psicológicos como síndrome do pânico, ansiedade e depressão podem representar uma segunda onda de estragos à saúde, conforme afirmam especialistas da área. Tudo isso, provocado por fatores como a solidão, as perdas (de liberdade, financeira), o medo de contrair a Covid-19, além das incertezas quanto ao futuro, agravam doenças mentais preexistentes e criam novos problemas para pessoas até então saudáveis.
 
Profissionais da área da Psiquiatria e da Psicologia já sentem um aumento na busca por tratamento na prática clínica diária. “Observamos um aumento na incidência nos casos de depressão. De acordo com um editorial publicado recentemente no periódico científico The New England Journal of Medicine, um dos mais respeitados no mundo, o número de pacientes que têm a doença deve aumentar globalmente após a quarentena devido à pandemia de Covid-19”, afirma o psiquiatra do Sistema Hapvida em João Pessoa, Manoel Galdino.
 
Além da depressão e dos outros quadros a ela associados, o especialista lembra que os pesquisadores observam que a ansiedade, também pode ser uma consequência desse período de isolamento, bem como a incidência de distúrbios alimentares e do abuso de álcool e drogas também aumentará durante e após a pandemia.
 
Manoel Galdino lembra ainda que o prolongamento de um confinamento possa ocasionar um afloramento das emoções, como tristeza, irritabilidade e intolerância. “O indivíduo pode apresentar sintomas ansiosos, preocupação exagerada, insônia e modificação no padrão alimentar, justamente com sintomas de físicos como falta de ar, coração acelerado e sensação de desespero. É importante manter uma rotina, tentar ocupar seu tempo com atividades prazerosas e, se possível, uma atividade física diária, mantendo uma alimentação saudável”, orienta o psiquiatra.
 
Na linha de frente – Se por um lado as famílias precisam se readaptar ao distanciamento social, outras necessitam viver com a exposição em decorrência do exercício da profissão tida como essenciais. Neste conjunto, médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, serviços gerais, seguranças, jornalistas, profissionais que atuam em supermercados, farmácias e postos de combustíveis lutam para salvar vidas, proteger e manter a população informada. Mas, o pacote também inclui o medo de contrair a doença e acabar transmitindo aos que amam.
 
Neste sentido, o psiquiatra que também integra a Rede Hapvida em João Pessoa, Kecyus Cabral, explica que muitos trabalhadores estão vivenciando uma pressão de lidar com a situação. “É normal se sentir assim por causa do entorno da pandemia. O estresse e as sensações associadas com esse quadro não significam que a pessoa não seja capaz de fazer o seu trabalho ou que seja uma pessoa fraca. O gerenciamento da sua saúde mental e o bem-estar psicossocial durante este momento é crucial para que se possa manter a saúde física”, pondera.
 
O psiquiatra sugere que os profissionais que atuam na linha de frente precisam se cuidar mantendo hábitos saudáveis e se conectando com outras temáticas não relacionadas à pandemia. “Evitar formas errôneas de lidar com o estresse como o uso de tabaco, álcool ou outras drogas. Em longo prazo, eles pioram o bem-estar físico e mental”, orienta e acrescenta: “Caso o profissional avalie ser necessário manter o distanciamento dos familiares, é fazer e não se preocupar, mantendo o contato com entes queridos de forma virtual, é uma alternativa”, aconselha.
 
Crianças, jovens e idosos – O psiquiatra Manoel Galdino ressalta que tanto crianças como adolescentes são passíveis de uma desestabilização mais grave e mais precoce durante um confinamento devido a sua plasticidade e desenvolvimento cerebral. “É percebido que crianças desenvolvem sintomas ansiosos, principalmente, em ambiente mais conturbado e cheios de informações por parte dos adultos. Então é importante não deixar essa insegurança refletir para os filhos. Já os idosos, por ser grupo de risco, necessitam uma atenção especial para sintomas depressivos, já que são mais vulneráveis à solidão e baixa autoestima”, alerta.
 
Para além da morte – A pandemia tem gerado uma série de perdas aos indivíduos. Para além da perda de um ente querido, por exemplo, uma parcela da população perdeu o emprego; crianças e jovens o contato com amigos e nesse processo de distanciamento social a psicóloga do Hapvida em João Pessoa, Rafaella Machado, lembra que o sentimento de incerteza quanto ao futuro é um dos principais fatores que provocam adoecimento.
 
“Desta forma, é importante que a população de uma forma geral procure uma série de cuidados, a nível físico e emocional, que vai desde a busca por uma rotina, com planejamento de atividades, buscando focar no momento presente e viver um dia de cada vez, realizando atividades prazerosas e mantendo a comunicação com familiares e amigos, a busca por psicoterapia, também na modalidade online e evitar o bombardeio de notícias de conteúdos difíceis”, pondera.
 
Compartilhando das sugestões apontadas pela psicóloga Rafaella Machado, o psiquiatra Klecyus Cabral acrescenta que rumores, fake news e especulações geram muita ansiedade e orienta aos indivíduos não se conectarem todo o tempo com as notícias, pois a sensação de incerteza e as preocupações aumentam. “Procurar obter informações a partir de fontes confiáveis. Buscar alternativas que promovam bem-estar para se distrair e manter o equilíbrio. Enfim, criar um “ritual” de autocuidado e manter uma rotina bem estabelecida é fundamental, portanto, planejar o dia-a-dia e preparar-se para trabalhar em casa e aceitar o momento presente, mantendo corpo e mente em equilíbrio, caso precise, buscando apoio”, avalia.
 
Acima de tudo, o médico psiquiatra Klecyus Cabral sugere que o indivíduo faça um esforço de se concentrar no lado positivo. “Reconectar-se com amigos e familiares. Use-o como um período para refletir e crescer. É um tempo que irá passar. Use-o da melhor maneira possível”, orienta.
Assessoria de Imprensa

Comente com seu Facebook

1 Comentário

1 Comment

Escreva sua Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Festa da Luz 2022: Marcus Diogo mantém o evento mesmo após recomendação do MP

Publicado há

em

Assista entrevista na íntegra:

Evento deverá ser realizado de 28 de janeiro a 1º de fevereiro, no Parque do Poeta Ronaldo Cunha Lima

Apesar da recomendação do Ministério Público da Paraíba (MPPB), o prefeito de Guarabira, Marcus Diogo (PSDB), pretende manter o planejamento da Festa da Luz 2022. Em entrevista, nesta segunda-feira (29), a TV Mídia o gestor municipal explicou que a festa só acontecerá caso o cenário da pandemia na Paraíba seja favorável, mas afirmou que continuará com o planejamento da festa, apesar da advertência do MPPB.

“A festa só aconteceria, ou acontecerá, se houver condições. A recomendação, o nome é muito claro, diz que se na Festa da Luz, nos dias 28, 29 e 31, não houver a possibilidade de acontecer, infelizmente não vai acontecer. Agora, a Festa da Luz é um evento que exige um planejamento do tamanho do mundo. Eu não posso deixar para planejar uma festa dessa faltando uma semana. Então, o planejamento tem que acontecer com essa antecedência”, disse o prefeito de Guarabira, durante entrevista.

O evento será realizado de 28 de janeiro a 1º de fevereiro, no Parque do Poeta Ronaldo Cunha Lima, e no primeiro dia subirão no palco as cantoras Walkyria Santos e Eliane, e a banda Calcinha Preta. No sábado (29), será a vez de Taty Girl, Solange Almeida e Limão com Mel.

Recomendação do MPPB

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) recomendou que o prefeito de Guarabira, Marcus Diogo (PSDB), não realize a Festa da Luz 2022. Em portaria expedida na última quinta-feira (25), a promotora de Justiça de Defesa da Saúde de Guarabira, Edivane Saraiva de Souza, deu 15 dias para que o gestor responda sobre a recomendação, que já está sendo avaliada pela gestão.

No documento, a promotora destacou o aviso da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a quarta onda da Covid-19 e a necessidade de se adotar medidas conforme os riscos. Ela lembrou que a pandemia não acabou, levando em consideração a aplicação da dose de reforço aprovada para maiores de 18 anos, e citou o cancelamento do Carnaval em mais de 70 cidades do interior de São Paulo, e em Cabedelo, na Paraíba, que cancelou o réveillon “para evitar aglomerações e não transformar a cidade em um ‘polo’ de contaminação da Covid-19, visando assim a proteção da saúde de seus munícipes”.

A promotora argumentou ainda que seria impossível exigir teste da Covid-19 com no mínimo dois dias antes do evento. Conforme ela, a decisão pelo cancelamento representará “respeito às famílias que perderam seus parentes e amigos para o vírus”.

“Um evento público do porte da festa da padroeira da cidade de Guarabira, que reúne mais de 400 mil pessoas, torna-se inviável o cumprimento das normas sanitárias e de controle da propagação do vírus Covid-19, ante a impossibilidade de manter-se o distanciamento social, uso obrigatório de máscaras, cartão de vacinação e teste de Covid atualizado, dentre outras medidas”, pontuou.

 paraibaja

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Destaque

Paraíba distribui 27.260 testes de Covid-19 aos 223 municípios

Publicado há

em

teste de covid_2.jpeg

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) distribuiu, nesta terça-feira (30), 27.260 testes de Covid-19 para os 223 municípios paraibanos. O intuito é identificar os casos de infecção com o vírus SARS-CoV-2 por meio dos TR-AG, o teste de antígeno, e mapear o estado para complementar as ações de assistência e vigilância em saúde.

De acordo com o secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, a ação de vacinação da população junto à expansão da testagem em larga escala é importante para resposta à pandemia, contribui para promover o monitoramento e o controle da doença no estado. Por isso é recomendada a prioridade da utilização dos TR-AG para os municípios nas ações de assistência e vigilâncias.

Geraldo Medeiros explica que o resultado do teste é disponibilizado em cerca de 15 a 20 minutos e não necessita de um ambiente laboratorial ou equipamentos para ser processado, é de fácil manipulação e pode ficar em temperatura ambiente. O secretário reforça que os testes moleculares RT-PCR continuam sendo usados como padrão ouro para diagnóstico da Covid-19 no Sistema Único de Saúde (SUS).

Sobre os cuidados da população com relação ao vírus, Geraldo Medeiros pontua que continuam os mesmos. “Mais do que nunca, é importante evitar aglomerações, continuar com o uso da máscara, lavagem das mãos e monitoramento dos casos. Reforçamos junto aos secretários municipais de saúde, que também é necessária a busca ativa daqueles que não tomaram a segunda dose, não concluindo o esquema vacinal. Bem como, medidas que ampliem a dose de reforço hoje ofertada”, destaca.

A coleta da amostra em indivíduos sintomáticos, que atendam a definição de caso de SG ou SRAG, é recomendada entre 1º e o 8° dia de início dos sintomas, que é a fase aguda da doença. Para indivíduos assintomáticos, e que tenham mantido contato com casos suspeitos e/ou confirmados, deve-se aguardar de 5 a 6 dias após o último encontro para realizar a coleta da amostra e testar com TR-AG. A Paraíba distribuiu 1.249 kits com insumos para a realização de TR-AG. Foram 793 kits com 20 testes e 456 com 25 cada.

https://paraiba.pb.gov.br

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Destaque

‘Quero uma chapa para ganhar’, diz Lula sobre ter Alckmin de vice

Publicado há

em

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse nesta terça-feira (30), em entrevista à Rádio Gaúcha, que ele e o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin estão “num processo de conversar” sobre a composição de uma chapa para a eleição presidencial do ano que vem. A ideia é que Alckmin possa ser vice de Lula.

Para isso, de acordo com Lula, o ex-governador tem que definir para qual partido vai. Atualmente, Alckmin é do PSDB, mas tem conversado sobre mudar de sigla. Uma das cotadas é o PSB.

“A gente está num processo de conversar. Vamos ver se, na hora em que eu definir ser candidato, é possível a gente construir uma aliança política. Primeiro preciso saber qual é o partido em que Alckmin vai entrar.Quero construir uma chapa para ganhar a eleição”, afirmou o ex-presidente.

Eliane Cantanhêde sobre a possibilidade de parceria entre Lula e Alckmin em 2022: ‘Seria uma chapa muito poderosa’

Lula e Alckmin foram adversários nas eleições de 2006. Na ocasião, o ex-presidente se reelegeu para um novo mandato, após bater o tucano no segundo turno.

Há duas semanas, antes de discursar no Parlamento Europeu, na Bélgica, Lula falou com jornalistas sobre as tratativas com Alckmin. Na ocasião, ele disse que não há eventual desentendimento entre os dois que não possa ser superado.

“Eu tenho uma extraordinária relação de respeito com Alckmin, eu fui presidente quando ele foi governador, nós conversamos muito. Não há nada que aconteceu entre eu e Alckmin que não possa ser reconciliado”, disse Lula na Bélgica.

G1

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

⚡EM ALTA

Copyright © 2021 Portal Mídia Orgulhosamente criado com ❤️ por FNX CORPORATION.