CONECTE-SE CONOSCO

Policial

Preso por aglomeração, Belo pede desculpas por show e diz que está em ‘choque’

Publicado há

em

Belo se manifestou nas redes sociais, por meio de sua assessoria de imprensa, a respeito prisão preventiva decretada pelo Plantão Judiciário do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) sobre o show realizado no último sábado (13), no complexo da Maré, na Zona Norte do Rio. De acordo com a Justiça, o músico vai responder a quatro crimes: infração de medida sanitária, crime de epidemia, invasão de prédio público e associação criminosa. Em nota, representantes do cantor disseram que ele e a família estão “surpresos e consternados” com o mandado de prisão cumprido pela Polícia Civil do Rio de Janeiro na manhã desta quarta-feira (17). “O espanto se dá em razão da prisão ter ocorrido mesmo após parecer contrário do Ministério Público (MP) e também da falta de isonomia quando se trata de apresentações artísticas durante a pandemia da covid-19, pela qual Belo teve a saúde acometida há três meses e a agenda cancelada integralmente há um ano”, diz um trecho do comunicado. A nota afirma ainda que, ciente da gravidade da pandemia, Belo “pede desculpas por ter se apresentado em uma aglomeração”. O comunicado explicou que o músico retomou há pouco uma agenda parcial de shows, mas que a mesma ainda não é o suficiente para que o artista reverta o prejuízo que teve pelos meses que não trabalhou.

“Como qualquer brasileiro, Belo é um cidadão com contas a pagar por meio de sua atividade profissional e sempre o fará sem distinções, principalmente de classe social”, diz outro trecho do comunicado.

O pronunciamento de Belo por meio da assessoria de imprensa diz ainda que o cantor está em estado de choque pelo rumo dos acontecimentos. A equipe do cantor encerrou o comunicado falando sobre distinção de gênero musical e localização onde o show foi realizado.

“Ecoando o questionamento feito ao longo do dia nas redes sociais, a equipe de Belo também se pergunta se a situação seria a mesma caso o show ocorresse em bairros da Zona Sul e com artistas de gêneros musicais menos negligenciados do que o pagode. Um exemplo dessa distinção é o fato de não haver registro de prisões na interdição de um baile de Carnaval”.

A prisão preventiva de Belo foi decidida pela juíza planonista Angelica dos Santos Costa. De acordo com a magistrada, a prisão é necessária para “garantir a ordem pública” e “evitar outros eventos desta natureza em plena pandemia”. Além disso, a juíza ressaltou que, em liberdade, “os acusados podem causar dificuldades às investigações em curso”, como influenciar testemunhas que ainda vão prestar depoimento.

A denúncia afirmou que o evento ocorreu sem autorização do Estado e por ordem do tráfico que domina a região. O show se estendeu até a manhã de domingo (14) e reuniu centenas de pessoas no pátio da escola.

Após terminar de prestar depoimento na Cidade da Polícia, Zona Norte da capital fluminense, Belo seguiu para a Polinter (Serviço de Polícia Interestadual) onde ingressará no sistema prisional.

Leia a íntegra da nota

“O cantor Belo, sua família e equipe estão surpresos e consternados com o mandado de prisão preventiva cumprido pela Polícia Civil do Rio de Janeiro nesta quarta-feira, 17, no âmbito da investigação sobre a apresentação do músico em evento no último sábado, 13, no Complexo da Maré, Zona Norte da capital fluminense. O show foi legalmente contratado pela produtora Série Gold, conforme comprovam notas fiscais e outros documentos já entregues às autoridades.

O espanto se dá em razão da prisão ter ocorrido mesmo após parecer contrário do Ministério Público (MP) e também da falta de isonomia quando se trata de apresentações artísticas durante a pandemia da Covid-19, pela qual Belo teve a saúde acometida há três meses e a agenda cancelada integralmente há um ano.

Ciente da gravidade da crise sanitária, Belo pede desculpas por ter se apresentado em uma aglomeração. O cantor retomou há pouco uma agenda parcial de shows, com compromissos ainda insuficientes para reverter o prejuízo dos meses em que esteve impedido de trabalhar, enquanto indústria, comércio e outras atividades de lazer — inclusive as casas de show — voltaram a funcionar, ainda que com restrições. Como qualquer brasileiro, Belo é um cidadão com contas a pagar por meio de sua atividade profissional e sempre o fará sem distinções, principalmente de classe social.

Completa o estado de choque do cantor o fato de que o evento de sábado não foi o primeiro e nem será o último em que aglomerações fugiram do controle dos organizadores. No entanto, chamou atenção das autoridades, de maneira mais expressiva, justamente um episódio na Maré, uma das maiores favelas cariocas, onde eventos culturais já são comumente reprimidos pela ideia de que os moradores de comunidades não merecem vivenciar a arte da mesma maneira do que aqueles que residem em áreas mais ricas da cidade. Ecoando o questionamento feito ao longo do dia nas redes sociais, a equipe de Belo também se pergunta se a situação seria a mesma caso o show ocorresse em bairros da Zona Sul e com artistas de gêneros musicais menos negligenciados do que o pagode. Um exemplo dessa distinção é o fato de não haver registro de prisões na interdição de um baile de Carnaval.”

r7

Comente com seu Facebook

Davi Carrero é jornalista (DTR 3342-PB). Acadêmico de Direito, atua no Tribunal de Justiça da Paraíba - TJPB.

Clique para comentar

Escreva sua Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policial

Record anunciará Caio Castro como apresentador de A Fazenda, diz site

Publicado há

em

Desde que Marcos Mion deixou a Record, após 11 anos na emissora, diversos nomes para substituí-lo em A Fazenda foram especulados. O mistério teria finalmente chegado ao fim: Caio Castro comandará a atração. O anúncio sobre a contratação do ator deve acontecer em breve, segundo informações do site TV Pop.

De acordo com as informações do portal, a novidade da emissora será revelada na próxima edição do Domingo Espetacular. A reportagem do jornal estaria produzindo um especial para homenagear Caio e contar cada passo de sua carreira. A previsão é que o conteúdo vá ao ar neste domingo (28/2).

No final de janeiro, Léo Dias, do Metrópoles, chegou a informar, em primeira mão, que o namorado de Grazi pediu um salário de R$ 1 milhão para comandar a atração e já tinha aprovação prévia do mercado publicitário.

Caso seja confirmado, Caio se tornará o quinto à frente da apresentação do programa. Anteriormente, o posto já foi ocupado por Britto Jr., Rodrigo Faro, Roberto Justus e Marcos Mion.

Poucos sabem, mas esta não seria a primeira vez que Caio assumiria a posição de apresentador de um reality show. O ator, de 32 anos, esteve à frente da versão brasileira do Are You The One?, da MTV Brasil, em 2018.

metropoles

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Policial

Homem que se passava por mulher no Instagram estupra mais de 10 mulhres

Publicado há

em

Um golpe cometido por um homem de 28 anos que se passava por mulher no Instagram para estuprar e extorquir vítimas foi interrompido pela Polícia Civil nessa quarta-feira (24/2).

Os investigadores já identificaram mais de 10 vítimas do criminoso, que agia em Belo Horizonte e Uberlândia, no Triângulo Mineiro. Os policiais, no entanto, calculam que o número de pessoas prejudicadas pelo autor seja superior a 100.

Leia mais em BHAZ, parceiro do Metrópoles.

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Policial

Casal membro de organização criminosa é preso, em Aroeiras, na PB

Publicado há

em

Material ilícito é apreendido com casal que faz parte de organização criminosa, em Aroeiras, Agreste da PB — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Uma mulher de 23 anos foi presa e um adolescente de 17 anos foi apreendido nesta quarta-feira (24), suspeitos de integrarem uma organização criminosa que determina homicídios em Aroeiras, Agreste da Paraíba.

Com eles foram encontrados mais de 100 embrulhos de maconha e crack, além de um tablete de maconha prensada e dois papelotes de cocaína. O material estava escondido no capô dentro de um veículo, numa casa abandonada. Os policiais investigavam se essa casa servia de local de desmanche de carros e motos roubados.

Segundo o delegado seccional de Queimadas, Ilamilto Simplício, ao consultarem a propriedade do carro, descobriram que pertencia a uma mulher cujo irmão era quem dava ordens de homicídios na região de Aroeiras. Ele foi preso há alguns dias e está detido em Campina Grande.

Ainda de acordo com o delegado, as investigações também indicam que o irmão dessa mulher é quem comanda o tráfico em Aroeiras. A Polícia Civil prendeu a mulher e apreendeu o adolescente de 17 anos, que é companheiro dela e assumiu a propriedade das drogas encontradas. O carro também foi apreendido.

G1

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

⚡EM ALTA

Copyright © 2021 Portal Mídia Orgulhosamente criado com ❤️ por FNX CORPORATION.