CONECTE-SE CONOSCO

Destaque

Veja trechos do depoimento da babá de Henry Borel à polícia

Publicado há

em

A babá do menino Henry Borel, Thayná Oliveira Ferreira, prestou um novo depoimento na 16ªDP (Barra da Tijuca) e admitiu que a mãe do menino sabia das agressões e que havia pedido para ela mentir em um primeiro depoimento, mas que não recebeu qualquer compensação financeira para mentir.

O casal Monique Medeiros e Dr.Jairinho está preso desde o dia 8 deste mês por suspeita de homicídio duplamente qualificado. O menino Henry Borel morreu no dia 8 de março.

No primeiro depoimento, Thayná disse que:

 

  • nunca tinha percebido nada de anormal na relação do casal com o menino;
  • que o advogado do casal, André França, pediu que a babá contasse somente a verdade no depoimento à polícia.

 

No segundo depoimento, Thayná contou que:

 

  • soube de três oportunidades diferentes em que Henry foi agredido;
  • Monique, a mãe do menino, pediu que ela não contasse nada à polícia;
  • Monique também pediu para que Thayná apagasse as mensagens de celular trocadas pelas duas e com Dr. Jairinho;
  • a mãe de Monique, avó de Henry, sabia das agressões;
  • o casal brigava com frequência.

 

Veja, abaixo, mais detalhes do segundo depoimento

Três agressões

 

De acordo com Thayná, no dia 2 de fevereiro Monique estava no futevôlei quando Henry começou a chamar pela mãe em seu quarto. Ela relatou que Jairinho saiu de seu quarto e foi até o encontro de Henry, chamando a criança de mimada e o chamou para conversar no quarto do casal. Eles teriam ficado 30 minutos com a porta fechada.

Segundo ela, nesse mesmo dia, já após a escola e na brinquedoteca, Henry não quis brincar com as outras crianças e disse que estava com dor no joelho. Thayná disse que relatou a situação para a mãe e que Monique disse que o filho podia estar inventando.

Dez dias depois, dia 12 de fevereiro, Thayná relatou que Jairinho ficou cerca de 10 minutos no quarto com Henry e assim que a porta se abriu, o menino foi em sua direção, “amuadinho” e reclamou de dor no joelho. Quando a empregada perguntou por que ele estava mancando, Henry disse que tinha sido por causa da “banda”, sem dar detalhes.

Depois que Jairinho saiu, Henry relatou as agressões e disse que isso sempre acontecia, mas que Jairinho mandou não contar se não “ia pegar ele”.

O terceiro episódio a babá diz que ocorreu na última semana de fevereiro. Segundo ela, Jairinho chegou inesperadamente e chamou Henry. Quando o menino saiu do quarto relutou a contar o que havia acontecido, parecendo intimidado, mas logo depois disse que havia caído da cama e estava com a cabeça doendo.

A polícia prendeu o vereador carioca Dr. Jairinho (Solidariedade), padrasto do menino Henry Borel, e Monique Medeiros, mãe do garoto — Foto: TV Globo/Reprodução

A polícia prendeu o vereador carioca Dr. Jairinho (Solidariedade), padrasto do menino Henry Borel, e Monique Medeiros, mãe do garoto — Foto: TV Globo/Reprodução

Monique pediu para mentir

 

Thayná contou que encontrou com a mãe de Henry no escritório do advogado e que ela pediu que a babá mentisse em depoimento e dissesse que nunca havia visto nada, pediu que ela apagasse todas as mensagens, que não mencionasse as brigas do casal, nem sobre as agressões que Henry sofreu.

Babá Thainá disse que a mãe de Henry pediu que ela mentisse em depoimento — Foto: Reprodução / TV Globo

Babá Thainá disse que a mãe de Henry pediu que ela mentisse em depoimento — Foto: Reprodução / TV Globo

Avó também sabia das agressões

 

No novo depoimento, a babá diz que a avó materna sabia das agressões. Segundo ela, uma vez a mãe de Monique, Rosangela, veio lhe perguntar sobre o que havia acontecido com o neto, e Thayná diz que contou tudo à avó de Henry.

Ela diz que contou a avó que Henry estava mancando, com dor na cabeça e com um roxo, porém não quis insistir muito no assunto, porque ficou com medo de Monique achar que ela estava fazendo “fofoca” para a mãe.

Ainda segundo Thayná, a avó questionou se existiria alguma possibilidade de Henry ter mentido e ela afirmou dizendo que não, até mesmo porque os machucados deixaram marcas.

Brigas frequentes

 

De acordo com a babá, Jarinho e Monique brigavam com frequência, quase toda semana, entretanto em portas fechadas ou por telefone.

Segundo ela, era comum até que um dos dois estivesse de malas prontas para sair de casa, porém, estranhamente, mesmo quando ouvia tons mais exaltados, o casal saía se beijando e ficava tudo bem.

Imagens: (G1)

G1

Comente com seu Facebook

Clique para comentar

Escreva sua Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque

Extensas pautas marcam reunião de diretoria e sessão plenária do Creci-PB

Publicado há

em

Por

A reunião de diretoria e a sessão plenária do Creci-PB, realizadas, respectivamente, às 9h e 15h desta sexta-feira (7), tiveram em comum uma extensa pauta, que constou da apresentação da ata do Conselho Fiscal referente a aprovação da prestação de contas do 10 trimestre de 2021, comunicados da presidência, aprovação de portarias, bem como de 200 processos, por exemplo, de transferência, inscrição e reinscrição de pessoas físicas, inscrição como estagiário, inscrição pessoa jurídica, inscrição secundária expedida e recebida e isenção.

O número de comunicados, dimensionou o volume de ações desenvolvidas pelo Órgão durante o mês passado, como a retomada das edições virtuais do programa de educação continuada Educacreci, os pedidos aos governos federal, estadual e prefeituras, de prioridade para os corretores de imóveis na vacinação contra a Covid-19 e mais um convênio firmado com a Preferencial Saúde,100% gratuito para acesso à rede de atendimento do Plano Pharma, além dos projetos de campanhas de valorização profissional, combate ao exercício ilegal, ampliação e aprimoramento dos cursos disponíveis na Faculdade Corporativa e do programa Educacreci.

Uma das portarias aprovadas foi a que corrige de acordo com o que foi definido em Acordo Coletivo dos funcionários com a diretoria, em 5% os valores das tabelas salariais do Plano de Cargos e Salários e dos cargos de livre provimento em comissão, cuja aplicação foi viabilizada pelo equilíbrio financeiro mantido pela gestão.

Nesse contexto de valorização, vale destacar a adoção de um calendário anual de pagamento que ocorre sempre no último dia útil do mês trabalhado, a implantação do próprio PCS, que garante novos horizontes através de princípios como meritocracia e vantagens indiretas (vales transporte e alimentação), além de assistências médica-hospitalar e odontológica, decorrente de planos de saúde coletivos contratado pelo Conselho.

Por fim, foram apresentados Relatórios dos setores de fiscalização, ouvidoria, imprensa, marketing, financeiro, compras, contratos, secretaria, entre outros.

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Destaque

Bolsonaro veta projeto que adiava prazo de entrega da Declaração do IR

Publicado há

em

Declaração do Imposto de Renda 2021.
© Marcello Casal jr/Agência Brasil

Com decisão, prazo fica mantido até 31 de maio

O presidente Jair Bolsonaro vetou integralmente o projeto de lei 639/2021, aprovado pela Câmara dos Deputados no último dia 13 de abril, que estendia o prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) de 2021 de 31 de maio para 31 de julho. O veto será publicado na edição desta quinta-feira (6) do Diário Oficial da União, mas poderá ser derrubado pelo Congresso Nacional. O presidente acatou recomendação da equipe econômica para não estender o prazo. 

Segundo o governo, apesar de “meritória”, a prorrogação do prazo contrariava o interesse público porque seria o terceiro adiamento consecutivo da entrega da declaração este ano. Uma nova postergação, de acordo com a equipe econômica, poderia afetar o fluxo de caixa do governo, prejudicando a arrecadação da União, dos estados e dos municípios, já que impactaria no repasse dos recursos destinados ao Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal (FPE) e no Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

“Desse modo, a proposta foi objeto de veto por causar um desequilíbrio do fluxo de recursos, o que poderia afetar a possibilidade de manter as restituições para os contribuintes, além de comprometer a arrecadação dos entes federativos. Em abril deste ano, a Receita Federal publicou a Instrução Normativa RFB nº 2.020/2021 adiando o prazo de entrega da Declaração de Imposto de Renda do exercício de 2021, de abril para maio, como forma de suavizar as dificuldades impostas pela pandemia do coronavírus (covid-19)”, informou, em nota, a Secretaria-Geral da Presidência da República.

Agência Brasil

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Destaque

Pediatra alerta sobre Alergia ao leite e Intolerância à lactose.

Publicado há

em

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

⚡EM ALTA

Copyright © 2021 Portal Mídia Orgulhosamente criado com ❤️ por FNX CORPORATION.