CONECTE-SE CONOSCO

Notícias

Educação: 71% das instituições federais atingem o máximo de qualidade

Publicado há

em

Espírito Santo, Rio de Janeiro e Rio Grande de Norte são proporcionalmente os estados com melhores resultados no Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC) 2019. O indicador, divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), nesta sexta-feira (23), mede a qualidade das instituições de ensino superior.

No três estados, respectivamente, 9,2%, 6,7% e 4,2% de suas instituições de educação superior atingiram faixa 5, que é a máxima no indicador. Do total de 2.070 instituições avaliadas, apenas 2,2% alcançaram essa faixa.

Já na faixa 4, segunda maior do IGC, Rio Grande do Sul (39,4%), Ceará (33,3%) e Distrito Federal (30,6%) foram os que obtiveram, proporcionalmente, o maior número de instituições. Considerando o total das instituições de educação superior avaliadas, 21,64% se enquadraram nessa faixa.

Dados gerais

Segundo o Inep, das 106 instituições de educação superior públicas federais com o Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC) 2019, 71% atingiram os conceitos 4 e 5 do indicador. Ao todo, os resultados foram calculados para 2.070 instituições (públicas e privadas), considerando os 24.145 cursos avaliados entre 2017 e 2019.

Do total de instituições que participaram da pesquisa, 87,1% (1.801) são privadas e 12,9% (269), públicas. A maioria (73,1%) é composta por faculdades, seguida dos centros universitários (15,6%) e das universidades (9,4%). Por fim, estão os institutos federais e centros federais de educação tecnológica, que, juntos, representam 1,9% das instituições de ensino com o índice atribuído nesta edição. A concentração na faixa 3 abarcou mais da metade das instituições avaliadas (63,77%).

Os dados divulgados hoje revelam ainda que das 1.507 faculdades com IGC, 83,4% delas ficaram nas faixas igual ou acima de 3. Já quando se trata dos 326 centros universitários, o percentual correspondente às três faixas de maior desempenho é de 98,5% (321). No caso das 197 universidades, 99% (195) alcançaram desempenho nas faixas de 3 a 5. Dos 40 institutos federais e centros federais de educação tecnológica, 65% (26) ficaram na terceira e 35% (14) na quarta faixa do IGC.

Regiões

Quando levados em conta apenas valores absolutos, a Região Sudeste apresentou o maior número de instituições com faixa 5. A região também é a que tem mais instituições com o IGC calculado, destacando-se Minas Gerais (265) e São Paulo (509). Este último lidera o conjunto de instituições mais bem avaliadas: são 16 na faixa 5 e 84 na faixa 4.

No Nordeste, Bahia e Ceará são os estados com a maior quantidade de instituições nas faixas 4 e 5 do indicador, sendo 27 e 19 instituições, respectivamente, participando desse processo avaliativo.

Já no Sul, destacam-se, com conceitos nas faixas 4 e 5 do IGC 2019, os estados do Paraná (48) e do Rio Grande do Sul (46). Nenhuma das instituições avaliadas das regiões Centro-Oeste e Norte atingiu a faixa 5 nesta edição. Contudo, o Distrito Federal é destaque no Centro-Oeste, com 15 instituições na faixa 4, enquanto o Pará é o estado da região Norte com maior quantidade de instituições nessa faixa.

Cálculo

Para o cálculo das 2.070 instituições de educação superior no IGC 2019, foram considerados os resultados do Conceito Preliminar de Curso (CPC) de 24.145 cursos avaliados entre 2017 e 2019 e os dados de 4.679 programas de mestrado e doutorado oferecidos pelas instituições em 2019.

A conta matemática para chegar ao IGC leva em conta os seguintes aspectos: a média do CPC, considerando o último ciclo do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) como referência; a média dos conceitos de avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu, atribuídos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior  (Capes) na última avaliação trienal; e a distribuição dos estudantes entre as diferentes etapas de ensino superior (graduação ou pós-graduação stricto sensu).

Aplicação

Iniciativas como a Universidade Aberta do Brasil (UAB), o Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica (Parfor) e o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), utilizam o conceito do IGC como requisito, critério seletivo ou de distinção. Além disso, o indicador também é parâmetro para a distribuição de orçamento à Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (EPCT) e serve como referencial nos processos de supervisão e regulação da educação superior, além de orientar a autoavaliação das instituições de ensino.

Edição: Maria Claudia

agenciabrasil

Comente com seu Facebook

Clique para comentar

Escreva sua Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias

“Governo do Estado é lento, prometeu muito e entregou pouco”, destaca Cartaxo durante entrevista em Campina Grande

Publicado há

em

O presidente estadual do PV e ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, esteve em Campina Grande nesta segunda-feira (27), quando concedeu entrevistas para a imprensa local. Em uma delas, Cartaxo destacou a inoperância da atual gestão estadual, que prometeu muitos investimentos pela Paraíba, mas até o momento não apresentou resultados.

“O Governo do Estado é lento, prometeu muito e entregou pouco. O atual governador se elegeu dizendo ser um técnico, que iria garantir uma série de investimentos pelo Estado. Prometeu uma UPA em cada região de saúde: não entregou. Prometeu aqui em Campina o Centro de Convenções. Também não trouxe. Na Região Metropolitana de João Pessoa do mesmo jeito: não enxergamos obras. O governo está chegando ao fim e não tem trabalho para apresentar à população”, destacou Cartaxo.

O presidente estadual do PV, que esteve nas rádio Cariri FM e Campina FM, se disse alegre em dialogar com a Rainha da Borborema após tomar sua segunda dose da vacina contra o coronavírus e agradeceu a recepção da cidade. “É um prazer estar em Campina Grande, porque aqui sempre somos muito bem acolhidos, ouvindo a população e dialogando sobre as melhorias para nosso Estado”.

 

ASCOM 

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Notícias

Prorrogado prazo para justificação por faltantes à eleição do Creci-PB

Publicado há

em

O prazo para justificação de ausência, por alguma razão escusável, de corretores de imóveis à eleição do Creci-PB, foi prorrogado do próximo dia 5 para o dia 19 de outubro, é o que prevê portaria assinada pelos diretores presidente e secretário, Rômulo Soares e Fabiano Cabral.

A decisão se deu, diante do cumprimento da primeira etapa das férias coletivas dos funcionários, entre o último dia 20 de setembro e o próximo dia 3 de outubro (quando não haverá atendimento na Sede e Delegacias) e dos prazos estipulados pela Lei de Acesso à Informação para respostas às demandas da Ouvidoria.

Outros prazos

No mesmo ato, foram suspensos, no período acima, os prazos processuais, de defesa ou de recurso, bem como os prazos de defesa de autos de infração/constatação/notificação/Termo de Representação; das notificações de processos administrativos tributários (PAT’s) e de Editais específicos; para respostas de setores do Conselho às demandas da Ouvidoria.

Esses prazos, especificamente, terão sua contagem reiniciada no dia 4 de outubro, sem prejuízo às partes interessadas, quando do retorno ao funcionamento normal.

Orientação aos faltantes

Os eleitores impedidos de votar, mas que se considerem em situação regular junto ao Órgão, sem poder comprová-la antes da votação, podem demonstrar que estavam em condições de votar. O documento pode ser encaminhado por e-mail ou através do canal da Ouvidoria, desde que seja anexado, devidamente preenchido, datado e assinado pelo corretor de imóveis requerente.

O e-mail para protocolo é o [email protected] e maiores informações podem ser obtidas no site www.creci-pb.gov.br, por meio do Canal do Corretor/Justificativa eleitoral Eleições 2021.

Creci-PB

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Notícias

Assembleia aprova Programa de Prevenção ao Diabetes Infanto-juvenil

Publicado há

em

ALPB

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou a elaboração do Programa de Prevenção ao Diabetes Infanto-juvenil na rede estadual de ensino da Paraíba. O texto de autoria do deputado Cabo Gilberto Silva foi aprovado por unanimidade durante sessão ordinária realizada nesta quarta-feira (22) por meio de videoconferência.

O Projeto de Lei 3.052/2021, de acordo com o autor, busca proporcionar aos alunos da rede estadual de ensino conhecimentos básicos sobre a Diabetes e os problemas causados pela doença, além de bem promover o autocuidado através da alimentação saudável e da prática de atividades físicas.

Segundo o deputado Cabo Gilberto, o Programa de Prevenção ao diabetes Infanto-juvenil será destinado aos alunos do ensino médio, cujo material didático utilizado será a atual produção literária já disponível na Secretaria Estadual de Saúde. “O diabetes é uma doença terrível e silenciosa. Milhares de pessoas falecem nesse pais em decorrência dessa doença. Entendo que para as futuras gerações, esse projeto é de muita importância para que elas não venha a sofrer com essa doença”, afirmou o Cabo.

Ainda de acordo com o texto, o Poder Executivo deverá viabilizar a implantação de convênios com entes e organizações sociais, inclusive as associações da sociedade civil, para, de forma voluntária, ajudarem a reduzir os casos de diabetes infanto-juvenil.

ALPB

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

⚡EM ALTA

Copyright © 2021 Portal Mídia Orgulhosamente criado com ❤️ por FNX CORPORATION.