CONECTE-SE CONOSCO

Notícias

Com mais de 40 proposituras voltadas para o esporte, deputada concilia vida política com paixão pelas quadras

Publicado há

em

Na Assembleia Legislativa da Paraíba ela se posiciona, não tem medo de entrar em debates acalorados e defende o que acredita e o público que representa. Nas quadras, seu escape, ela ataca, defende e é conhecida pela garra. A deputada estadual Camila Toscano (PSDB) divide a atuação política com a paixão pelo vôlei e o esporte acabou sendo uma das suas bandeiras dentro do parlamento. Ela, que é atleta e já foi convocada pela seleção paraibana, tem mais de 40 proposituras voltadas para a área.

No Dia Nacional do Vôlei, comemorado neste domingo (27), Camila fala sobre a sua paixão pelo esporte, que começou na infância. A deputada conta que começou a jogar quando estudava no Colégio Lourdinas, em João Pessoa. Jogou até entrar para a faculdade Direito. Com a maternidade– a deputada é mãe de dois filhos – ela deu uma pausa na atividade.

“Voltei a treinar faz algum tempo quando descobri que existia uma turma de veteranas nas Lourdinas e, pouco tempo depois, comecei a participar de competições, antes mesmo de iniciar meu mandato. Jogar vôlei é um hobby para mim. É uma forma de aliviar a pressão da vida política, de sair um pouco desse universo que nós vivemos 24 horas por dia”, contou

Camila tem 1,80m de altura, participa de competições como atacante (ponta), já ganhou vários títulos e no último Campeonato Máster Nordeste foi eleita o destaque da partida pelo seu desempenho em quadra. “O vôlei para mim é um escape e eu venho conciliando o esporte com a atividade política” disse.

A deputada vê no esporte um instrumento de transformação de vidas e defende políticas públicas para incentivo à prática. Ela é autora de proposituras como o Projeto de Lei 1.036/2016 que institui o vale-esporte, cujo benefício será concedido aos estudantes da rede estadual de ensino, para que possa viabilizar a participação dos atletas em eventos esportivos na Paraíba.

A deputada também é autora da Lei 10.817/2016 que cria o Dia Estadual do Atleta Paralímpico. Camila solicitou ao Estado a realização de um mapeamento dos atletas paraibanos com potencialidades em diversas modalidades e a implementação de um programa de incentivo financeiro.

É de sua autoria o Projeto de Lei 2.827/21 que assegura ao atleta com deficiência que participar de eventos e competições paradesportivas realizadas com apoio, patrocínio ou outra forma de emprego de recursos públicos estaduais, a mesma premiação e os mesmos benefícios assegurados ao atleta sem deficiência que compete em categoria igual ou similar.

Assessoria de Imprensa

Comente com seu Facebook

Clique para comentar

Escreva sua Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias

Prefeitura de Araçagi realiza dia D 12+ sem comorbidades de vacinação contra a COVID-19

Publicado há

em

A Prefeitura Municipal de Araçagi através da Secretaria de Saúde, realizou na manhã desta quinta-feira (21), o dia D 12+ sem comorbidades de vacinação contra a COVID-19.
Ação aconteceu na escola Agripino Ribeiro Filho e contou com um grande número de jovens para receber a primeira dose da vacina.
O resultado positivo de todas as ações e planejamento do município já é visível, contudo não podemos relaxar os cuidados e muito menos parar com nossas ações, vamos seguir avançando cada dia mais.
Prefeitura Municipal de Araçagi

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Notícias

Saúde distribui 217.170 doses de vacinas contra a covid-19 nesta sexta-feira

Publicado há

em

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) distribui, nesta sexta-feira (22), mais 217.170 doses de imunizantes contra a covid-19. A 59ª pauta de distribuição compreende 125.820 doses da vacina Pfizer/Comirnaty, sendo 111.666 doses de reforço (Dref), para idosos acima de 60 anos, e 14.154 doses dois (D2), para completar o esquema da população entre 18 e 59 anos. Fazem parte da pauta ainda 91.350 doses da Astrazeneca/Fiocruz que também são destinadas para segunda dose da população maior de 18 anos.

A dose de reforço deve ser administrada na população idosa acima de 60 anos 6 meses após a última dose do esquema vacinal (segunda dose ou dose única), independente do imunizante aplicado anteriormente no esquema vacinal. O secretário estadual de Saúde, Geraldo Medeiros, reforça que é importante que os municípios se atentem a este público, uma vez que é a população mais vulnerável ao vírus.

“É fundamental a imunização dos idosos e o complemento deste esquema vacinal com a dose de reforço, para que se tenha uma proteção ainda maior da população mais suscetível ao vírus. Orientamos os municípios que insistam nas buscas ativas, vacinem seus idosos e estejam atentos a vacinação em tempo oportuno, de acordo com os prazos estabelecidos”, ressalta o secretário.

Ele reforça ainda que o cidadão que faz parte de grupos já abertos e que não tenha ainda recebido o imunizante não poderá ficar sem acesso à vacinação. A campanha de vacinação é contínua e o acesso deve ser garantido pela gestão de cada município.

A Paraíba já distribuiu 5.562.946 doses de imunizantes até esta quinta-feira (21) e já conta com 41,48% da população total do estado vacinadas com duas doses ou dose única contra a covid-19.

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Notícias

Assembleia aprova projeto que assegura igualdade de premiação entre atletas e paratletas

Publicado há

em

Os deputados aprovaram durante a sessão desta nesta terça-feira (19) da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) o projeto de Lei 2.827/21, de autoria de Camila Toscano (PSDB), que assegura igualdade entre atletas e paratletas. A matéria estabelece que atleta com deficiência que participar de eventos e competições paradesportivas com emprego de recursos públicos estaduais, receba a mesma premiação e os mesmos benefícios assegurados ao atleta sem deficiência que compete em categoria igual ou similar.

“Esse é um projeto importante. É público e notório que existem diferenças nas premiações e incentivos dados aos atletas brasileiros, visto que normalmente a maior fatia fica para o futebol masculino. Quanto realizamos um recorte de gênero, mesmo no futebol, a desigualdade é gigante entre homens e mulheres. Mas, quando focamos nos paratletas, especialmente as mulheres, a desigualdade é estarrecedora. Então, propomos esse projeto para combater, no âmbito esportivo, mais uma forma de desigualdade entre pessoas com e sem deficiência”, destacou a deputada.

De acordo com o projeto, o direito assegurado ao atleta com deficiência não exclui a igualdade de premiações entre homens e mulheres que competirem em mesma categoria nas competições esportivas e paradesportivas.

O descumprimento do que é proposto no projeto pode acarretar as instituições públicas uma responsabilização administrativa de seus dirigentes, quanto pessoa física ou jurídica de direito privado como: advertência, quando da primeira autuação da infração e ainda multa, quando da segunda autuação, podendo chegar a R$ 5,5 mil.

Assessoria de Imprensa

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

⚡EM ALTA

Copyright © 2021 Portal Mídia Orgulhosamente criado com ❤️ por FNX CORPORATION.