CONECTE-SE CONOSCO

Politica

Antônio Hortêncio, Bergson Formiga e Amadeus Lopes formam a lista tríplice para PGJ

Publicado há

em

O processo eleitoral ocorreu nesta segunda-feira (29) na sede do MPPB, em João Pessoa.

Os promotores de Justiça Antônio Hortêncio Rocha Neto, Francisco Bergson Formiga e Amadeus Lopes Ferreira (Foto: Reprodução)

Os promotores de Justiça Antônio Hortêncio Rocha Neto, Francisco Bergson Formiga e Amadeus Lopes Ferreira foram os mais votados pelos membros do Ministério Público da Paraíba (MPPB) e compõem a lista tríplice de nomeação do procurador-geral de Justiça da instituição para o biênio 2021/2023. O processo eleitoral ocorreu nesta segunda-feira (29) na sede do MPPB, em João Pessoa.

Estavam aptos a votar 220 promotores e procuradores de Justiça e 215 votaram. Cada um deles pôde votar em até três candidatos. A lista é encabeçada pelo promotor Antônio Hortêncio que obteve 163 votos, o que corresponde a ter recebido votos de 75,8% dos membros votantes. Em segundo ficou o promotor Francisco Bergson, com 107 votos, o que representa 49,7% dos votantes. Em terceiro, está o promotor Amadeus Lopes, com 67 votos, o que equivale a 31,1% dos membros que votaram. O quarto colocado da eleição foi o promotor João Geraldo Barbosa que obteve 31 votos.

O resultado da eleição foi divulgado durante reunião por videoconferência da comissão eleitoral. Participaram o presidente da comissão, procurador de Justiça Doriel Veloso Gouveia e os integrantes, os promotores de Justiça, Cláudio Antônio Cavalcante e Francisco Lianza Neto. Eles destacaram a tranquilidade do pleito e a segurança do sistema de eleição desenvolvido pela Diretoria de Tecnologia da Informação (Ditec) do MPPB. Ao final, a comissão lavrou a ata com o resultado e encaminhou ao procurador-geral.

A reunião contou com a participação ainda dos quatro candidatos, do procuradora-geral, Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho; do corregedor-geral, procurador Alvaro Gadelha; do ouvidor do MPPB procurador Aristóteles Santana; e do presidente da Associação Paraibana do MP, promotor Leonardo Quintans.

A instituição tem um prazo de três dias para encaminhar a lista tríplice ao governador do estado, que terá um prazo de 15 dias para nomear o procurador-geral de Justiça dentre os integrantes da carreira do Ministério Público constantes da lista tríplice. Se o governador não efetivar a nomeação nos quinze dias que se seguirem ao recebimento da lista, será investido automaticamente no cargo o membro do Ministério Público mais votado da lista.

ClickPB

Comente com seu Facebook

Clique para comentar

Escreva sua Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Politica

Votação de projeto de suplementação orçamentária gera confusão entre prefeito e vereadores em Sapé

Publicado há

em

O gestor da cidade, major Sidnei quer que os vereadores aprovem o projeto de suplementação orçamentária que viabiliza recursos para o município. No entanto, os vereadores são contrários ao projeto.

Em suas redes sociais, o gestor postou um vídeo em que aparece junto ao povo, e critica a sessão na Câmara dos Vereadores. “É nula. Não vamos nos render a chantagens. A Câmara deve trabalhar a favor da população, em harmonia com os poderes, sem interesses 

A votação de projeto de suplementação orçamentária, na Câmara dos Vereadores, em Sapé, gerou confusão entre prefeito e vereadores, nesta quinta-feira (16). O gestor da cidade, major Sidnei quer que os vereadores aprovem o projeto de suplementação orçamentária que viabiliza recursos para o município. Sem a aprovação desse projeto, pode haver problemas com a folha de pagamento dos fornecedores e servidores.

Em suas redes sociais, o gestor postou um vídeo em que aparece junto ao povo, e critica a sessão na Câmara dos Vereadores. “É nula. Não vamos nos render a chantagens. A Câmara deve trabalhar a favor da população, em harmonia com os poderes, sem interesses próprios”, diz. 

Segundo ele, houve a quebrar do regimento no processo, “desrespeitar o regulamento e reprimir quem pensa diferente é ferir a democracia e tentar calar a voz do povo. Tenho energia e força para fazer o que precisa ser feito”, relatou.

Segue o documento com o projeto:    

clickpb

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Politica

Depois de oferecer R$ 10 mil por informações sobre motorista, Julian Lemos recebe cobrança de débito de campanha: “Devia pagar a quem deve”

Publicado há

em

O deputado federal Julian Lemos, presidente estadual do PSL, ganhou ampla repercussão, no final de semana, por oferecer R$ 10 mil por informações que levassem a prisão do motorista que causou a morte de um motoboy no Retão de Manaíra, em João Pessoa. Depois da postagem do Política&etc registrando a iniciativa do parlamentar, o blog recebeu um questionamento: porque o deputado não paga a quem deve.

“O deputado federal Julian Lemos deveria pagar a quem deve. O diretório estadual do PSL foi condenado pela justiça a pagar dívidas de campanha com a empresa a Lupa Comunicação, de propriedade do jornalista Marcos Cavalcanti”, disse o jornalista em contato com o Política&etc.

O PSL deve pagar a empresa R$ 17 mil, conforme decisão judicial no link abaixo.

PS200805653-36-1

Com informações do Politica&etc

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Politica

‘A gasolina tá barata, o gás tá barato’, diz Bolsonaro

Publicado há

em

“O pessoal tem que entender a composição do preço. Acabam me culpando por tudo o que acontece no Brasil.”, disse Bolsonaro.

Ao longo de 2021, a gasolina teve aumento de 51%. A probabilidade é que os valores cresçam ainda mais nos próximos meses. (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Em conversa com apoiadores no fim da tarde desta terça-feira (24), na porta do Palácio da Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que a população precisa entender como o preço da gasolina e do gás de cozinha são compostos, “A gasolina tá barata, o gás de cozinha tá barato. O pessoal tem que entender a composição do preço. Acabam me culpando por tudo o que acontece no Brasil.”

Composição dos preços

Na composição do preço da gasolina, a fatia da Petrobras é a maior, superando os 30%. O ICMS (imposto estadual) citado como “vilão” no preço por Bolsonaro, é responsável por quase 28% do valor final. Impostos federais — Cide, PIS e Cofins — representam outros 11,6%. No caso do ICMS, cada Estado define sua alíquota. Segundo dados da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis, ela varia entre 25% e 34% na gasolina, dependendo do Estado.

Os biocombustíveis, que também são incluídos na mistura final, também subiram de preço – caso do etanol anidro, que é adicionado na proporção de 27% na gasolina comum e representa cerca de 16% do preço final. As margens brutas de revenda e distribuição ficam em torno de 11,7% do preço final.

Ao longo de 2021, a gasolina teve aumento de 51%. A probabilidade é que os valores cresçam ainda mais nos próximos meses.

Entre os fatores para esse aumento está o preço do petróleo, que vem subindo no mercado mundial sem perspectiva de um crescimento de produção que justifique uma queda no curto prazo. O dólar, que está na casa dos R$ 5,30, também pesa nessa conta.

clickpb

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

⚡EM ALTA

Copyright © 2021 Portal Mídia Orgulhosamente criado com ❤️ por FNX CORPORATION.