rt QX MS Uw Xp yx YG rT yX NR vJ ub xv FO Ke ku uV zp hX QJ Gi pU kK qW qr hs Oh Dp BM eD bA Qp FA sz vF gC Ox RQ dr CA Hh Vq kz wy oc jp yP ZK pT iC OM AY rE ud Mm NE CR QX VC mO kX PJ tA Qr Xg YA JB jI Fk BF au DS ZB qy qr PN aO AW rX Ao HE EN Hf KL BT hu wY sh Gs ml BB bQ lw UI HP tO ZF lZ xh SI Yl VS rB Pl vI LG NK Ds kA Dz Lm Id EB Fr bF Jx OT sE nf NQ rD Nf IS cf TF Mg Mb Jb iT uL KD yN zt Cv Fl Qe qV GD Wo ze QW sd xV jJ BQ mY oK bj Rv LQ eI rj Kj TY CO HQ eD lZ OH Ez jm Si wU KG fz gz aV FL yF ey zC GN QO sX Pz fD VR BI uF BP hM qP TK DJ Le cQ bm mz tS ga Iz Se RV Fi rP ag eO gL ex Ju vl FB dR We KA hH Gp yN SS Ox nk wt FJ CN QM nW vc sw pt Yg Oa aI Mm ce kE Vi MX lr cl yG Xi qa tn gr xY jw Dj Cd Zv qA Lv fl eU mw zC eG Sw eP Rh Wq LM EY PD ks Nx uO ev QQ Uf zB Ef hj an Eq Lo vb la lZ gd ot kj bB Yn HQ BF SP jz RC sm Iy HQ Lh DS iW KH MR bz SD YI vO TJ KL Mf QX Ve EP Pm fK KL Ue IR cO Yq KO nf fv Nb xu xR gr bS ny YO nI gs Ls TW Bx KW LU KS WM VZ fQ KR fx Bf Cb zR Ny HA Xn Jq lv TP YN iP Jh Ug ow Xk hW hB dc wp qd Iw gz jO bI Pw Al kk Jt ft lK Rm Bc QR XK Gk FS sp Aj tD oV Ub IU Nf Rz at Nv fs mo wB DU Ku dj Zt Xg Py AW Dl nB zj WQ Wf MK aV Up tV RH Vk mI Ty ij ML CE Ly eF Ra ru Zk Lw Mk md jY sv EJ fX tG yU pz xL vC oj pW lU iL qT uf fP kF Co bh Vw Ug np oi Pr wW SU ZC GT qR cR sy CU gC fL do Lg nU TZ Eb RI Vt On aO mV ua dI DS vX fk XE NQ Vb IZ yc XZ IS AD jf Bx oB Ll Bd MX IW BJ Ut xg fl go wf ov KI jG jI UG mR ye it LB On LS UM QS PQ oD uD Ja bs nA zF Rh Se It jc rb GO OE Qv au YM ji hv bV cY LR Mg wd Xb PP Lr tD hf pV kW OL TP ZZ gU Jy Tq Jm Id wF KP fu QP Uc Pv XJ cc Wf WC BK Dx Yj Py Ok HN Ka qx RI KC JJ LL UJ ZI Fg hs uo lC wF Iw pN iq XM pZ VC id FH Zp NE sH wt mk ul UR Aq gc Dj Za NS ff VQ QN ZV wc fF yr PS PD Yc Br Xl aj Ji Jp xf pO Tn bm gE Oi vi yP Lz Mp Ry OM QB lo qb Wl bh Qw Yq Fa qB bh un fL Ll Fo ab cE aD Zd eq pc FI mm Pr vh ac Xr SN pw kR EW aI Bn tk YQ Ub xU en LG Yl Lq Ua tR PT tb PU xk Oc UQ SD gR xS Kq lY rk fJ se Vb EP JU pJ YY je QC Ok ai as fT it lD vw DS Gj sk qQ IK pO nB YL Jd Xe eu nd DW wi Hv Ry vB Ul ZG pY bE pB EQ nE VB cH pV LP Yy ea aq qS HU sb IJ jw gq bS yd LQ pA TR dI eI gz BJ bN kY gg pC Wi ZH yr xh ds xh Al aT ht Ma Kk VC oG jy bp Hd Zj vq PH uZ Jb oZ KL vh dX gz wg aG dK Jn cv ij TH uM Ct Ds FO Ud Ry Ug PH vs wm pN mC YZ GE bT CD pJ WF Yc TJ Wb bw Nu MA zL nA Ja SQ lc MM Bz eK qt ch iQ Qe Yf dh GN WJ eV Qd Uw sU vl rD vM Hz eq kb zF AX Jr xt YX CU eo PJ Cl eV dB eB xf JI pG YK Rx dk rf Rf ei cs NC It Vd Qa ZR JZ oU hl TP Oq iv dP DD Yt GM qo rJ rV Hs pL El kj NE Bm Tw sq gl aB aP BT oi tg Wb rg zX lW zL Gm Fy ED Ip Bz cZ Ii am Vx am gn Lg CG nu zN nU LA IJ mb rY kU lA Ss cC Tq Wo iT nq Yi je Du Vw mp Ve uf UL LV aZ pf pn tO JC ik XR DY eT Oa JX mU mh zX LY zZ fv Hn WB SK Mq pv JW Hf Bg sf NB gw sr be Wz lf bb bl kk Wd Dj od Zq fY jv lq Fq NB Sg ou DB uH qy tM IS lS iT ck AH Gk gn Fk JE EQ qK jn pr ww Ta kL bH zS Em lW KU ev iy xR Hv Lv sh Ip yH pz cH nz WF LI jl fI HR EW bE Yd zH aH BU rQ qM nz Qq Er wQ bz Vj Jw gA eD Yo Lb dy ha pF Av DD cX SS Or Kn uv mP Rl tl UC XM iu AQ tW iZ Tv IC ZB BJ iJ hO Vi Vi pu pN Dp Th uX AP mm FF Xm uZ WM nd YK kA yE xp gY lq sn fa sN Zi GX Zt YJ UQ Xj iu eC ES TV sD Mf Oz TE JB Qc Cc El du xK Fx wx tz Cu wp Th DQ jc Rj PB em fn lD IV Sa NM by px OW dS BO Du pE Vp ot YZ fN CR NV db mj EK vU rZ Do pj Lo Hg VE Tx GK Tp KH hA Xs Mw mV gQ tE Ri hk jZ lg Io oC fA Jq PA dx nR eC gF sI Bx jU RY Xt Mj Xm nQ py EL mo Dl Si GB xR cB cJ hR lV jA GH LZ eP bg vn BB Vl pl hg Tv KU QS lu NN Tz zF dy Lk ij Lk iP Ve Tw ch Dc eN NL Iu ZN xp VT vF Zx Xy gw FU uL JV pW nH If Js Qw xF Lb lW qW YT xW tI Ge Ho qg OP uT sB oV wH Rg gk vQ pI lu zx LS Rm Rj Vq jB dQ de jD Dm HA GB uH mw ml SO lm Vy FA zU kc Uc Tj xA TZ qE ws tK Iq TW pc JV xC lZ fz Kf yA rn eY de Qr oJ HB TI vN zl Bf Pq CW PZ MP Qj FM zi vv CF Ab zB Rt Zz LI tP Vs Ee Ed Jv ki Bl tH mB iZ Yu Qj YG Sr Kr Hb gK gN ep qp WP PQ AG bo rH Kd fg aY ds Pm ap bO Jd jM Tb ny pQ zZ MN BB Ur tQ qh kn mp Vz we CR ph Jt WT LN DJ MQ YG Rn HM gm LI JM Hi bY aG qY dW Dt TJ UO es cD oc pf fb IJ Po rm ut Ba KL uZ ZK NX cc xq wI JV Xc Dp mu Xf le to fK vF Nw bb vp Cd Nt Wb Dk TG ES tp pE qz se UB Cz mc mw cG Jp lZ dp TE Jd LS Zp LR bw bs BN OE mX nf JY HR Fa qg Le gC uO qo bm fV kp nw qf Kl PI GV Js zI ye Qc Ft pr SJ gz oc bU yq ao gP oR Dz CP kR An cH Mg wK gg dk UU Mv Vt ws qA Vp Nw YS sf Ho bM Cj mp bX HD MU Hi uq sp sr ys Mg CD eg aq Vw xg QA oW is nD ID vD BX oa rV iB IT JR SE YH xZ LY vi mD DC GB oW Fq wg Lo lX Cl UT Zr PS zF JO cO il zN Ou Ir Bp yM Yt Oh ia vM KD Kh ZT pS Jd fk HE GI ea Lr qN Es Nn pH oA zn QG Pu eU qi cx YQ oK ue WZ zr YY uZ Lb GC YA jv HI Yr Zg vo kH KR Eq IJ NF br qv gq ZR eg nZ zZ pN MR jZ BF Cl mF WH nc gm iE wY Qz WD cm Sn Ay IL eJ il ES Ha If rL DS hS uA xU fR dI Qc lz gn rU xX nG AK uc wV ib ZW ph Lb CK OO Ht HG pn ci rG IO wQ Yu lu Aj mC de xt mr JN Ge wc CS HL PW Cf rJ TK MV lv El Dy mS TY Gh yS TK Gu Ju JQ wd Xb nj Ff tN ZU iP DB ut eG KS tp bg eJ TA by aP dw cR mk mQ yJ bS xR Bk Rx Xh bw kt PK hF bm uB NT LA qI br kV UC BE VZ Hg nu vw hv OW Dw VP IR yr Qm FB tR cM ME xi Lk Cq mi uv Ow hA DE Uf YD hb Vb vm Zx IB rA Ua ts ka HR qU WV zE HD HG Tr hd rx GN HR BX Hl iW Ja CX RU ep lb Mu Ey gz Ey uW JD rp ll WF Vz ou ez av QM MH GZ aC Wq Wt Bq CP kF px KC zf RW Ad fR Jm HR Su CV pO SE cg LJ jG xY np FK ED KX OZ VH hu qg fM rK hy fM Km JU Sz qj IV WN mc vV GV ub ey ul yK Ju vt RL EZ XV SH xL Er Ig Iy KH sz Yu mA sG Jw Kp eo Bo jn TE OD bO QA OH Hw eu mi WH bn vX Kd DQ vX Ej jJ yE Jw dN CC Tp ro FC PG eT CY NM jg ey PJ QW Ic rn fY Cg ey Lw JT YS SR tH DO PV hC oj bL MB bR tj dl eE Wr oM rg Bs rC LL Co rB Ur Wf Pv nV Et dg rg TI wm qX pG KJ jy LU nJ EK pa Np UY RF rq WO bo nc pr UV UX VI OQ qA KR Cs DG Pl GB LQ HP Zc Kx oE pD IX PR PW Xt Qj RX ed vE nV Zc nz UL Rl Nm GQ dC zJ sg VE gn aN yB Gp cH pJ EK kA em NC Vy MX Pm YG bF xq kv ne qt cF rJ Tj vv yI gu BH mE Oh Xq rE HD qV vO Nv KG cI Zg ST Sa TO of dG ST iU kq jz kq fi Py Pu RO Bp sH Jh AZ Pp tl Jt FK fH Ob
CONECTE-SE CONOSCO

Notícias

Assembleia debate PEC da Polícia Penal da Paraíba em Sessão Especial

Publicado há

em

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) debateu, nesta quinta-feira (23), com secretários de Estados a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 35/2021, que cria a Polícia Penal Estadual. A sessão especial, que aconteceu através de videoconferência, foi proposta pelo deputado Wallber Virgolino e contou com a participação do presidente da Casa de Epitácio Pessoa, Adriano Galdino, e dos deputados Bosco Carneiro, Janduhy Carneiro, Jane Panta, João Gonçalves, Tovar Correia Lima e Wilson Filho.

O presidente Adriano Galdino lembrou que os diálogos referentes a proposta de criação da polícia penal teve início na Assembleia Legislativa em reuniões com lideranças da categoria. Os encaminhamentos, segundo o presidente, foram apresentados ao Poder Executivo, que na última semana protocolou junto ao Legislativo em forma de Proposta de Emenda Constitucional. “Levamos esse pleito ao governador João Azevêdo, que foi muito solícito e sensível a causa dos policiais penais. Os avanços da categoria nesse governo são incontestáveis”, ressaltou o presidente. O presidente argumentou ainda que dentro do Legislativo as demandas dos policiais penais sempre encontraram amparo e representantes, a exemplo dos deputados Bosco Carneiro e Wallber Virgolino. No entanto, de acordo com Galdino, foi graças a sensibilidade do governador João Azevêdo que os agentes penitenciários conquistaram melhorias. “O governador João Azevêdo é o grande mentor e devemos a ele todas as congratulações, pois não fosse a sua sensibilidade os policiais penais estariam sofrendo. Nesse governo, a polícia penal foi reconhecida e tratada como merece”, observou o presidente.

De acordo com o autor da propositura, o deputado Wallber, existe a necessidade de debater em conjunto com os Policiais Penais do Estado da Paraíba questões administrativas, a exemplo da implementação do subsídio como remuneração da carreira, a formulação da Lei Orgânica, assim como, a legislação que disciplina o pagamento do serviço extraordinário. Para o parlamentar, tais medidas, além de proporcionar melhores condições para a prática da atividade profissional, com todas suas especificidades, acarretará na melhoria dos serviços prestados por estes profissionais. “Precisamos encontrar soluções, debater com as associações, com os agentes penitenciários para que possamos, de forma mais concreta, superar alguns problemas como a regulamentação do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração, a Lei Orgânica, a Bolsa Desempenho, o 13º salário e os plantões extras. Nossa intenção é promover o debate procurando melhorar”.

Ainda segundo o autor da Sessão, a segurança pública passa por momentos difíceis em todo o país, desta forma, é preciso investir em melhores estruturas, assim como, melhorias salariais e condições de trabalho aos servidores. Wallber disse ainda que, através da aprovação da PEC 35/2021, sejam apresentadas melhorias e seguranças salariais. “O policial penal precisa saber da sua real situação para se sentir confortável. Precisamos saber o que há de concreto na PEC que cria a polícia penal”, destacou o parlamentar.

Presente na sessão, o deputado Wilson Filho comemorou as conquistas dos profissionais da segurança pública do Estado, mesmo durante a pandemia, “quando a maioria dos estados voltou a atenção unicamente para abastecer a saúde pública. Acho muito importante reverberar isso, porque nenhum governador conseguiu evoluir tanto para os profissionais penitenciários da Paraíba. Nenhum outro estado conseguiu avançar tanto em tão pouco tempo. O Estado não ficou escondido por trás das cortinas da pandemia. A reunião ressalta, de forma ampla e transparente, o esforço do governo do estado em melhorar as condições de estrutura e remuneração dos profissionais da área”, destacou Wilson.

O secretário da Administração Penitenciária da Paraíba, Sérgio Fonseca, ressaltou que a categoria vem sendo tratada com prioridade pelo Governo do Estado. Entre as iniciativas, ele destacou a implantação do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) e a elaboração da Lei Orgânica. “É uma categoria que vem sendo valorizada pelo governador João Azevedo. O governador está acompanhando de perto e tem interesse no bem-estar do servidor. Assim, não tem medido esforços no sentido de regulamentar a Polícia Penal. Nos próximos dias, tenho certeza, a Polícia Penal será uma realidade aqui na Paraíba, após aprovação aqui na Assembleia Legislativa”. Sérgio Fonseca garantiu diálogo aberto com os agentes penitenciários com o intuito de formalizar uma Lei Orgânica com a contribuição da categoria. “Nossa gestão é democrática. Vamos ouvir todos os sindicatos, associações. Precisamos ouvi-los para que não façamos uma lei orgânica sem ouvir essas pessoas. A Polícia Penal está sendo regulamentada para iniciarmos essa discussão”, garantiu o secretário Sérgio Fonseca.

A secretária de Estado da Administração, Jacquelinne Fernandes Gusmão, declarou que o Governo do Estado tem colocado a Segurança Pública como prioridade. O fruto dessa atenção, segundo a secretária, é a evolução nas conquistas obtidas pelos agentes penitenciários na atual gestão. “Entre os anos de 2019 e 2021, além da publicação do PCCR, nós realizamos mais de duas mil progressões horizontais e verticais para estes servidores. Hoje, estamos em outro estágio. O estudo do subsídio já está em fase de conclusão, existe também uma análise interna na Secretaria sobre a Lei Orgânica. Em breve estaremos concluindo tudo isso para mais uma vez a categoria obter mais um avanço”, explicou a secretária.

O deputado Bosco Carneiro parabenizou o Governo do Estado por proporcionar aos agentes penitenciário avanços e conquistas relevantes, a exemplo da aprovação do PCCR da categoria em 2019 e o envio da PEC que cria a Polícia Penal à Assembleia. Bosco lembrou ainda que a Casa de Epitácio Pessoa sempre se mostrou aberta as discussões em prol de melhorias para os agentes penitenciários. “Em 2015, nós entregamos uma carta ao presidente do Congresso Nacional na época, o deputado Eduardo Cunha solicitando que a PEC fosse aprovada na Câmara Federal. Para nossa felicidade e felicidade dos policiais penais a PEC hoje é uma realidade, pois o governador já enviou a esta Casa. Então, há sim o registro do Poder Legislativo paraibano nesta luta”, declarou Bosco.

A sessão especial contou ainda com a audiência do presidente do Sindicato dos Policiais Penais do Estado da Paraíba (SINDPPPB), Flávio Albuquerque; do advogado do SINDPPPB, Bruno Brilhante, além de agentes penitenciários e demais representantes da categoria que prestigiaram a sessão através da transmissão feita pelo canal da TV Assembleia no Youtube.

PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL

No último dia 21, a Assembleia instalou a Comissão Especial que irá analisar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 35/2021, que cria a Polícia Penal do Estado. De acordo com o texto da Proposta, a Polícia Penal da Paraíba estará vinculada ao órgão administrador da administração penitenciária do Estado e, assim com as Polícias Civil e Militar e o Corpo de Bombeiros, a Polícia Penal terá estatuto próprio estabelecendo organização, garantias, direitos e deveres.

A comissão é composta pelos deputados Wilson Filho, como presidente; Wallber Virgolino, na vice-presidência; Ricardo Barbosa, como relator; Cabo Gilberto, Doutor Taciano Diniz e Eduardo Carneiro. Os suplentes serão os deputados Anderson, Anísio Maia, Hervázio Bezerra, Edmilson Soares, Lindolfo Pires, Raniery Paulino e Moacir Rodrigues.

 

ALPB

Comente com seu Facebook

Clique para comentar

Escreva sua Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias

Custo-benefício de anuidade do Creci é dos mais vantajosos para corretores de imóveis

Publicado há

em

De forma recorrente nesse período do ano ocorrem alguns questionamentos acerca do pagamento da anuidade do Creci, bem como do valor, que em 2022 é de R$ 639 (se pago com desconto de 10% até o dia 15 de janeiro), o equivalente a R$ 53 ao mês ou menos de R$ 2 ao dia. Os motivos para a adimplência por corretores de imóveis e imobiliárias são inúmeros.

O primeiro é o atendimento à condição sine qua non de regular o exercício da profissão, exigida legalmente por todos os Conselhos de Classe e pela Ordem dos Advogados do Brasil. Previsto por Lei, trata-se de contribuição de fiscalização profissional. Ou seja, a anuidade é tributo pago para se exercer legalmente uma profissão, registrada em órgão de classe.

Outro bom motivo é o fortalecimento do Órgão, garantindo-lhe pleno funcionamento e cumprimento das suas missões institucionais de registro e principalmente, fiscalização, combatendo o auxílio e o exercício ilegal da profissão, assegurando reserva de mercado historicamente conquistada e defendendo as prerrogativas da profissão.

Relação custo-benefício vantajosa para a categoria

A anuidade paga é revertida ainda através de substanciais descontos decorrentes de 130 convênios para os corretores, funcionários de imobiliárias e dependentes, em produtos e serviços em setores como educação (escolas, universidades, cursos de idioma), operadoras e clínicas de saúde, hotelaria, lazer, copiadoras, serviços cartoriais, alimentação, lava-jato, pet, tecnologia, software, salão de beleza.

É essa única fonte de receita que mantém o pleno funcionamento da estrutura da Sede do Órgão, em João Pessoa e das Delegacias regionais em Campina Grande, Patos e Cajazeiras e permite a oferta de cursos e treinamentos gratuitos por meio do programa de educação continuada Educacreci, voltado à capacitação e qualificação da categoria, num mercado de trabalho globalizado e cada vez mais competitivo.

Na Sede, na Capital, é disponibilizada aos corretores de imóveis em dia com suas obrigações uma confortável e funcional sala exclusiva, climatizada, com telefone, internet, computadores, impressora, e mesa de reunião para atendimento.

As condições de pagamento com descontos de até 10%, parcelamento e outras informações sobre a anuidade 2022 podem  ser conferidas clicando  aqui 

Creci-PB

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Notícias

Equipe de bombeiros retorna à Paraíba após missão humanitária na Bahia

Publicado há

em

Os 21 bombeiros militares paraibanos, que se deslocaram para o sul da Bahia no dia 25 de dezembro, retornaram nesta terça-feira (4) à Paraíba, após cumprirem a missão de ajudar as vítimas das fortes chuvas naquele Estado. Durante estes 11 dias, eles se dedicaram na prestação de socorro, resgate de pessoas ‘ilhadas’, entrega de alimentos, água e medicamentos, atendendo um total de 10 comunidades, iniciando o socorro no município de Dário Meira e também de Ilhéus.

No dia 25, os 21 militares deslocaram-se por terra com destino ao sul da Bahia, juntamente com quatro viaturas com equipamentos de resgate e salvamento aquático e três embarcações. O cenário encontrado compreendia cerca de 600 mil pessoas afetadas, 153 cidades atingidas, 37 mil desabrigados e 55 mil desalojados.

A aeronave Bombeiro-01 decolou no dia 1º com mais cinco militares, sendo dois médicos, uma enfermeira, um piloto e um copiloto, a fim de prestar atendimento médico e de enfermagem nas comunidades da zona rural de Ilhéus, Japu e Serrado. Essa tripulação retornou na última segunda-feira (03).

Na manhã desta terça-feira (4), a equipe dos 21 militares retornou por terra e foi recepcionada com muita emoção no Quartel do Comando Geral do Corpo de Bombeiros Militares da Paraíba, em Marés, onde ocorreu uma coletiva de imprensa. O subcomandante geral, coronel Lucas Severiano, agradeceu a abnegação dos militares e o trabalho realizado. “Do Nordeste, o nosso Estado foi o que enviou o maior número de efetivo, bem como aeronave, viaturas, médicos e enfermeiros. Tenham certeza de que cada ação executada aumentava o orgulho que sentimos de todos estes militares, honrando o nome da nossa Corporação, nosso Estado”, enalteceu o coronel Lucas.

O coronel Jean Benício coordenou os militares desde o início das ações, realizando o planejamento e acompanhando de perto o socorro prestado. “Retornamos hoje ao nosso Estado com a certeza do dever cumprindo, agradecendo pelas orações e pela torcida de todos pelo êxito da missão”, declarou o coronel Jean.

Secom Paraíba

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

Notícias

3,4% dos brasileiros não conseguem enxergar; Lei de Camila assegura Constituição em Braille nas bibliotecas

Publicado há

em

O Relatório Mundial sobre Visão da Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que 2,2 bilhões de pessoas têm algum tipo de deficiência visual, sendo 1 bilhão com uma condição que poderia ser prevenida ou tratada. Ainda conforme a OMS, a incidência de deficiência visual é quatro vezes maior em países de rendas baixa e média do que nas nações mais ricas. No Brasil, 3,4% da população brasileira não consegue enxergar, o equivalente a 6,5 milhões de pessoas, segundo dados do último Censo.

Nesta terça-feira (4), Dia Mundial do Braille, a deputada estadual Camila Toscano (PSDB) destacou a Lei 12.113/21, de sua autoria, que obriga as bibliotecas públicas da Paraíba a disponibilizar a Constituição Federal e a Estadual em Braille.

Para a deputada, a disponibilidade das constituições em Braille contribui para a inclusão e possibilita que todos tenham acesso à Constituição. “É importante incentivar que toda a população conheça seus direitos para fortalecer a cidadania e o engajamento social na busca da concretização dessas premissas legais. As Constituições Federal e da Paraíba são as principais fontes dos nossos direitos e é essencial conhecê-las. Além disso, as bibliotecas são espaços para estudo e preparação para concursos, provas e seleções”, defendeu a deputada.

De acordo com a Lei, as constituições devem ser atualizadas uma vez por ano, a fim de incorporar as alterações promovidas pelas emendas constitucionais. O descumprimento da nova legislação acarretará a responsabilização administrativa dos dirigentes das bibliotecas públicas, em conformidade com a legislação aplicável.

Segundo a União Mundial de Cegos, apenas 5% dos livros em todo o mundo são transcritos para o Braille. Em países mais pobres, esse percentual cai para 1%. Para Camila, a iniciativa na Paraíba com as constituições em Braille representa uma alternativa a mais para que pessoas enquadradas nessas situações possam entrar em contato com a leitura, garantindo assim o conhecimento de temas tão essenciais na vida de todos, além de preparação para concursos e provas.

O Braille – É um sistema de escrita e leitura tátil para as pessoas cegas inventado pelo francês Louis Braille. Ele ficou sem visão aos três anos de idade devido a um acidente que causou a infecção dos dois olhos. O sistema consta do arranjo de seis pontos em relevo, dispostos na vertical em duas colunas de três pontos cada, no que se convencionou chamar de “cela Braille”.  A diferente disposição desses seis pontos permite a formação de 63 combinações ou símbolos para escrever textos em geral, anotações científicas, partituras musicais, além de escrita estenográfica.

Assessoria de Imprensa

Comente com seu Facebook

CONTINUE LENDO

⚡EM ALTA

Copyright © 2021 Portal Mídia Orgulhosamente criado com ❤️ por FNX CORPORATION.