Anitta bloqueia Bolsonaro nas redes sociais

Anitta bloqueia Bolsonaro nas redes sociais

Após Bolsonaro compartilhar a publicação, Anitta voltou à rede e disse que seu nome estava sendo usado para “gerar buzz” – isto é, engajamento – para o presidente, que tentará a reeleição este ano

A cantora Anitta diz ter bloqueado o presidente Jair Bolsonaro no Twitter após ele responder a uma publicação sua na plataforma. Em seu perfil na rede social, a artista defendeu que a bandeira do Brasil pertence a todos os brasileiros e não deve ser apropriada por um grupo específico. O chefe do Executivo compartilhou a postagem e escreveu, em tom de ironia: “Concordo com a Anita”.

A cantora vestiu figurino verde e amarelo em sua apresentação no festival americano Coachella, neste fim de semana, e havia usado a plataforma para justificar a escolha das cores. “A bandeira do Brasil e as cores da bandeira do Brasil pertencem aos brasileiros. Representam o Brasil em geral”, escreveu.

Após Bolsonaro compartilhar a publicação, Anitta voltou à rede e disse que seu nome estava sendo usado para “gerar buzz” – isto é, engajamento – para o presidente, que tentará a reeleição este ano. Segundo a artista, o chefe do Executivo estaria tentando incorporar uma imagem mais dscontraída para atrair o eleitorado jovem. Ela disse reconhecer o movimento da equipe de marketing do presidente por já ter usado a mesma estratégia.

“Nesse momento, qualquer manifestação contra ele por meio dos artistas vai ser convertida em forma de deboche pelas mídias sociais dele. Assim, o artista vira o chato e ele o cara bacana que leva tudo numa boa”, publicou ela. “Aquela sensação de: queria ser amigo dele… logo, você votaria no seu amigo gente boa. E por aí vai a estratégia. Já passa a ser mídia boa quando você cita o nome dele, não faz diferença se você citou de forma negativa ou positiva”, completou.

Recentemente, Bolsonaro e Anitta encamparam outro embate digital, embora menos explícito. No mês passado, a cantora aproveitou uma campanha do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e usou as redes sociais para incentivar que adolescentes se cadastrem para votar em outubro. Em seguida, o presidente e aliados lançaram a hashtag #SouJovemSouBolsonaro, buscando promover a ideia de que uma participação maior dos jovens no pleito não necessariamente implicaria na derrota do chefe do Planalto.

correiobraziliense

Related posts

Deixe uma resposta