Autor de impeachment de Dilma declara apoio a Lula no primeiro turno: ‘Evitar o pior’

Miguel Reale Júnior foi ministro de Fernando Henrique e era entusiasta da terceira via.

O ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior declarou nesta quarta-feira apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no 1° turno da eleição para presidente da República. Reale foi um dos autores do pedido de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), em 2015. Agora, diz ser necessário apoiar os petistas para “evitar o pior”, em referência ao presidente Jair Bolsonaro (PL).

— Eu creio que nós devemos nesse instante evitar um mal maior. Evitar que haja conturbações na vida social brasileira — disse Reale ao GLOBO — Não vai haver ofensas a ministros do Supremo ou do TSE. Não vai haver ameaça de golpe.

O ex-ministro disse que sua ação teve como base a preocupação com o “desespero” de Bolsonaro e o “risco de ameaça de golpe”. Ele também comparou sua escolha de agora com a decisão de apoiar Lula contra Fernando Collor em 1989.

— Bolsonaro já usou o enterro da rainha Elizabeth e a reunião da ONU para fazer campanha. Imagine o que ele faria no segundo turno? Com risco da ameaça continua de golpe que ele sempre repete e continua falando da insegurança das urnas eletrônicas, inclusive na ONU — disse.

Reale era entusiasta da chamada terceira via, uma alternativa diferente de Lula ou do presidente Jair Bolsonaro (PL). Atualmente encabeçada por Simone Tebet (MDB), a terceira via não conseguiu quebrar a polarização entre os dois. Tebet tem 5% das intenções de votos válidos, segundo a última pesquisa do Ipec (ex-Ibope) divulgada na segunda-feira. Ao ser questionado se Simone deveria desistir para apoiar Lula, Reale disse:

— Não sei. Eu admiro muito. Eu acho que ela é a candidata ideal, mas está com 5% (dos votos) a 10 dias da eleição. Eu lamento muito.

“Decidir por Lula é consequência de saber que assim se evitará ataques à democracia, à dignidade da pessoa humana e ao meio ambiente, que, com certeza, sucederão com maior intensidade em novo mandato do Bolsonaro”, escreveu Reale em uma nota enviada a jornalistas. “Sem perspectiva de vitória da terceira via, é importante que Lula vença no primeiro turno, para se impedir ação desesperada de Bolsonaro”, defendeu Reale.

O Globo

Related posts

Deixe uma resposta