Bolsonaro fala pela 1ª vez a apoiadores após derrota e diz chefiar as Forças Armadas

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse ser “o chefe supremo das Forças Armadas” em primeira fala para apoiadores em Brasília após a derrota nas eleições. O pronunciamento aconteceu no Palácio da Alvorada, residência oficial de Bolsonaro. A fala demonstra uma manutenção do tom que o presidente usava antes das eleições, insuflando os seus apoiadores que estão acampando em frente a quarteis do Exercito em vários estados do Brasil.

A fala demonstra uma manutenção do tom que o presidente usava antes das eleições, insuflando os seus apoiadores que estão acampando em frente a quarteis do Exercito em vários estados do Brasil.

“A missão de cada um de nos aqui não é criticar, é unir. Muitas vezes vocês têm informações que não procedem, e pelo cansaço, pela angústia, pelo momento, passam a criticar. Tenho certeza entre as minhas funções garantidas na Constituição, é ser o chefe supremo das Forças Armadas”, disse aos apoiadores.

Desde o dia 30 de outubro, apoiadores de Bolsonaro realizam protestos golpistas contra a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). São movimentos que começaram fechando rodovias e, depois, migraram para as portas de quarteis com pedidos de “intervenção federal” e para que as Forças Armadas “salvem o Brasil”.

As Forças Armadas são essenciais em qualquer pais do mundo. Sempre disse, ao longo desses 4 anos, que as Forças Armadas são o último obstáculo para o socialismo. As Forças Armadas, tenho certeza, estão unidas. As Forças Armadas devem, assim como eu, lealdade ao nosso povo, respeito à Constituição, e são um dos grandes responsáveis pela nossa liberdadePresidente Jair Bolsonaro.

Aos apoiadores, Bolsonaro afirmou que foi até lá porque “deve lealdade ao povo brasileiro” e que nos últimos 4 anos foi despertado “o patriotismo no Brasil” e que “o povo voltou a admirar a sua bandeira”. O presidente disse também que “não é fácil enfrentar todo um sistema”. Bolsonaro justifica silêncio: “tudo seria deturpado”. Com poucas aparições em público, presença reduzida nas redes sociais e pronunciamentos suspensos, Bolsonaro passou o último mês quase em silêncio.

Hoje, aos apoiadores, disse que ficou assim porque senão “tudo seria deturpado”. O presidente também voltou a dizer que a liberdade “é mais importante que a própria vida”, e afirmou que “se algo der errado é porque eu perdi a minha liderança”. “Eu me responsabilizo pelos meus erros, mas peço a vocês, não critiquem sem ter certeza absoluta do que esta acontecendo. Obviamente, não estou aqui quebrando o silêncio. Estou falando algo que sempre disse a todos vocês. Alguns falam do meu silêncio, há poucas semanas, se eu saísse aqui e desse ‘bom dia’, tudo seria deturpado, tudo seria distorcido”, justificou.

Todos nós sabemos o que aconteceu ao longo desses quatro anos, ao longo do período eleitoral, e o que foi anunciado pelo TSE. Nós estamos lutando. Quando eu falo ‘nós’, sou eu e vocês. Pela liberdade até daqueles que nos criticam. O Brasil não precisa de mais leis, o Brasil precisa que suas leis sejam efetivamente cumpridasPresidente Jair Bolsonaro.

Presidente disse a manifestantes em frente ao Alvorada que, em “momento oportuno”, tudo dará certo.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a falar com apoiadores, em frente ao Palácio da Alvorada, na tarde desta 6ª feira (9.dez.2022), depois de mais de 1 mês em silêncio. “Estou há praticamente 40 dias calado. Dói. Dói na alma”, disse o presidente. Acompanhado dos ex-ministros Gilson Machado e Braga Netto, Bolsonaro afirmou ainda que “tudo dará certo” em um “momento oportuno”.

O chefe do Executivo disse dever lealdade ao povo brasileiro e que nunca havia visto antes uma população ir às ruas para um presidente permanecer no poder. “Eu só vi o povo ir à rua para tirar presidente”, declarou.

Além disso, o presidente falou que “cada minuto é um a menos” e que iria fazer a coisa certa. “Diferentemente de outras pessoas, vamos vencer […] Nunca sai das 4 linhas da Constituição e acredito que a vitória será também dessa maneira”, acrescentou. Desde a sua derrota para o petista Luiz Inácio Lula da Silva, Bolsonaro se manteve em silêncio e parou de dar declarações públicas. Disse que se responsabilizava pelos próprios erros, mas pediu aos seus apoiadores que não o criticassem sem ter “certeza absoluta” do que estava acontecendo.

“Se algo deu errado, é porque eu perdi a minha liderança”.afirmou. “Não vou falar do outro lado político, mas qual o futuro do Brasil? O que aconteceu? Como chegou a esse ponto? Demoramos a acordar”.

Durante seu discurso, os seus apoiadores gritaram: “Fica, Bolsonaro”. Depois da fala do presidente, integrantes do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) tiveram que fazer uma corrente humana em volta dos manifestantes para que não avançassem rumo ao cercado onde estavam os jornalistas.

Depois de Bolsonaro voltar para dentro do Palácio da Alvorada, os manifestantes anunciaram em alto-falantes que estavam indo em direção ao STM (Superior Tribunal Militar).

SILÊNCIO PRESIDENCIAL A última vez que Bolsonaro fez uma declaração pública foi em 2 de novembro, há 36 dias, quando pediu que os seus apoiadores, insatisfeitos com a vitória de Lula, desbloqueassem as estradas. Na ocasião, bolsonaristas estavam desde 30 de outubro obstruindo as rodovias federais.

Além disso, Bolsonaro deu um pronunciamento de 2 minutos e 3 segundos, em 1º de outubro, e evitou mencionar o resultado eleitoral ou o nome de Lula. No discurso, o presidente afirmou que continuaria “cumprindo todos os mandamentos da Constituição”.

Apesar de ter participado de eventos depois do 2º turno das eleições, como o jantar de confraternização do PL (Partido Liberal) e de uma cerimônia das Forças Armadas, o atual chefe do Executivo tem se recusado a falar com a imprensa e com os seus apoiadores.

Eis imagens registradas durante o discurso de Bolsonaro pelo repórter fotográfico do Poder360 Sérgio Lima:

Presidente Jair Bolsonaro com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, sua residência oficial em Brasília. Os apoiadores seguem nos acampamentosem frente aos QG do exército e quartéis em várias cidades várias cidades brasileiras. | Séergio Lima/Poder360 09.dez.2022

Fonte: UOL / poder360

Related posts

Deixe uma resposta