Bolsonaro quer falar sobre cibersegurança com Putin em visita à Rússia

Enviado especial a Moscou – Além de temas sobre agricultura e energia, o presidente Jair Bolsonaro pretende abordar questões relacionadas a cibersegurança e ciberdefesa em seus encontros com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, nesta quarta-feira (16/2), em Moscou, capital do país.

Segundo apurou o Metrópoles, o assunto deve ser abordado tanto na reunião bilateral entre Bolsonaro e Putin, na qual estarão presentes apenas os dois presidentes e os intérpretes, quanto no encontro entre os ministros da Defesa e das Relações Exteriores dos dois países.

Fontes do governo brasileiro explicam que o desejo do presidente brasileiro de abordar o tema com Putin se deve à expertise dos russos na área de cibersegurança e ciberdefesa. O país do leste europeu é conhecido por ter um dos maiores serviços de cibersegurança do mundo.

Auxiliares de Bolsonaro dizem que a ideia é discutir uma possível cooperação para que as Forças Armadas brasileiras estejam “mais capacitadas” para proteger a infraestrutura do Brasil na área, considerada “crítica” por integrantes do Palácio do Planalto, sobretudo no ano eleitoral.

As Forças Armadas acompanham, junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os testes sobre as urnas eletrônicas. Em uma live na semana passada, Bolsonaro disse que os militares fizeram questionamentos ao TSE sobre “dezenas de vulnerabilidades”. A Corte, no entanto, disse que foram perguntas de “natureza técnica”.

Agricultura e energia

Na área da agricultura, Bolsonaro e os ministros do governo que o acompanharão em Moscou devem focar as conversas em garantir a exportação da Rússia para o Brasil de insumos para produção de fertilizantes e adubos utilizados pelo agronegócio, em meio à escassez mundial.

A comitiva brasileira também pretende tratar com os russos de uma possível cooperação energética e do mercado mundial de combustíveis. As decisões adotadas pela Rússia têm grande impacto sobre os preços do petróleo em todo o mundo e, consequentemente, da gasolina. Bolsonaro e seus auxiliares devem ainda abordar com Putin a possibilidade de ampliar a cooperação nas áreas espacial, de defesa, além de científica e tecnológica. Nessas duas últimas, devem ser discutidas possíveis parcerias no desenvolvimento de recursos minerais inexplorados do Brasil, como grafeno, nióbio e terras raras.

 

Agenda de Bolsonaro

O embarque de Bolsonaro para Moscou está previsto para as 18h desta segunda-feira (14/2), horário de Brasília. O presidente brasileiro só deve chegar à capital russa na terça-feira (15/2). A agenda oficial ocorrerá ao longo da quarta-feira (16/2).

O primeiro compromisso de Bolsonaro será uma reunião com Putin no Kremlin, sede do governo russo, seguida de um pronunciamento de até 15 minutos para cada chefe de Estado. O presidente da Rússia também deve oferecer um almoço ao atual chefe do Palácio do Planalto.

Na sequência, Bolsonaro irá se encontrar com o presidente da Duma de Estado, Câmara Baixa do Parlamento russo, algo semelhante à Câmara dos Deputados brasileira. Também participará da entrega da oferenda floral no Túmulo do Soldado Desconhecido.

Na agenda, há ainda um encontro do presidente com empresários. A reunião deve acontecer no Four Seasons, hotel cinco estrelas localizado na Praça Vermelha, principal cartão postal de Moscou. É nesse hotel onde Bolsonaro e boa parte de sua comitiva ficarão hospedados.

metropoles

Related posts

Deixe uma resposta