Conheça os principais exames oftalmológicos e as suas funções

A visita regular ao oftalmologista pode facilitar diagnósticos precoces, tratamentos mais assertivos e evitar problemas visuais futuros

São Paulo, outubro de 2022 – Bastante em alta nos últimos anos, o conceito de saúde plena deve ser entendido como algo além da simples ausência de doenças, contemplando também o bem-estar físico e emocional. Para isso, é importante que as pessoas estejam atentas aos seus cuidados de saúde, realizando visitas frequentes ao consultório médico e check-ups anuais. Neste contexto, uma das áreas mais negligenciadas é a oftalmológica, já que aqueles que “enxergam bem” deixam de visitar um especialista com frequência. Segundo relatório divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em 2019, cerca de 2,2 bilhões de pessoas no mundo possuem algum tipo de disfunção visual ou são cegas, sendo que 80% dos casos de cegueira poderiam ser evitados com medidas preventivas e acompanhamento médico.

Pensando nisso, Makoto Ikegame, CEO e Fundador da Lenscope, healthtech que criou uma jornada 100% digital na aquisição de lentes para óculos em um processo simples, eficiente e funcional, preparou uma lista com alguns dos exames oftalmológicos mais comuns e o que esperar de cada um deles. Confira:

  • Teste do Olhinho: rápido e indolor, esse exame deve ser realizado logo nas primeiras semanas de vida do recém-nascido, servindo para identificar casos precoces de doenças como catarata, glaucoma, cegueira, tumores, inflamações e erros de refração (miopia, hipermetropia e astigmatismo). Durante o exame, o médico ilumina os olhos do bebê com um aparelho capaz de identificar as características do reflexo da luz na retina, que deve ser homogêneo e regular.
  • Avaliação Externa: costuma ser o primeiro exame a ser feito nas consultas de rotina, auxiliando o especialista a identificar se existem problemas nas pálpebras e canais lacrimais, como vermelhidão, inchaço, edemas e mudanças na lubrificação dos olhos. 
  • Exame de refração: também conhecido como “exame de vista” ou “exame de grau”, esse é um dos testes mais comuns nas visitas oftalmológicas, detectando a necessidade ou não do uso de óculos de grau para a correção de disfunções como miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia (ou vista cansada). É neste momento que o especialista pede que a pessoa leia uma placa posicionada na parede oposta da sala, enquanto manuseia lentes corretivas e verifica o efeito de cada uma delas. Em crianças e adultos jovens, pode ser necessária a dilatação da pupila por meio de um colírio especial, o que torna o resultado do exame mais preciso.
  • Exame de Fundo de Olho: chamado também de oftalmoscopia, esse exame serve para observar a saúde das córneas, nervo óptico, lente e retina. Para a sua realização, o médico utiliza um aparelho conhecido como oftalmoscópio, capaz de aumentar a imagem diversas vezes. Para a realização do teste, também pode ser necessária a dilatação da pupila do paciente.
  • Teste de Acuidade Visual (ou Teste de Snellen): simples e indolor, este exame mede a capacidade da pessoa enxergar e ter clareza em sua visão, discernindo contornos e formas dos objetos, como palavras e símbolos. Esse teste ajuda o médico a identificar e a evitar possíveis agravamentos de problemas de visão.
  • Teste de Percepção de Cores (ou Teste de Ishihara): identifica a presença do daltonismo no paciente por meio da avaliação de sua capacidade em enxergar e distinguir determinadas cores. Simples e indolor, o teste consiste na observação de cartões coloridos com diversos círculos de cores pouco diferentes em si.
  • Exame de Ceratometria: esse teste mede a forma e a curvatura da córnea, aspectos importantes em pacientes com astigmatismo ou que precisam passar por cirurgias de catarata, por exemplo. Durante a realização do exame, a pessoa apenas deve olhar para um aparelho capaz de se adequar ao olho e indicar o formato da córnea.
  • Teste Ortóptico: é indicado para pacientes com sintomas de estrabismo, insuficiência de convergência (dificuldade de convergência para fixar um objeto próximo) e ambliopia (baixa acuidade visual em um ou ambos os olhos). O exame detecta a existência de alguma alteração no movimento dos olhos.
  • Tomografia de Coerência Óptica: este é um exame não-invasivo realizado para se obter uma imagem transversal da retina e observar se existem doenças que a prejudiquem. O teste vê todas as camadas da retina e mede a sua espessura, identificando doenças como o glaucoma.

“Queremos que as pessoas entendam a importância de realizar visitas e exames oftalmológicos com regularidade, o que pode facilitar diagnósticos precoces, tratamentos mais assertivos e evitar problemas visuais futuros. Para aqueles que já utilizam óculos de grau, possuem algum tipo de disfunção ocular ou têm mais de 40 anos de idade, a visita anual ao médico oftalmologista se faz ainda mais necessária. Muitas pessoas sentem medo ou não sabem ao certo o que esperar da consulta com o especialista, e por isso queremos levar essas informações ao público e ajudar a desmistificar a complexidade dos exames oftalmológicos”, afirma Makoto Ikegame, CEO e Cofundador da Lenscope.

Sobre a Lenscope

Fundada em 2015, a Lenscope vem revolucionando o mercado óptico brasileiro ao oferecer uma jornada 100% digital na aquisição de lentes para óculos em um processo simples, eficiente e muito funcional. A healthtech, que também é reconhecida por disponibilizar ao mercado brasileiro as lentes mais finas do mundo, utiliza Inteligência Artificial na oferta de produtos de qualidade superior, de forma acessível e cômoda, sem que o consumidor precise sair de casa.

Assessoria

Related posts

Deixe uma resposta