Dois suspeitos de participarem de tiroteio em Paraisópolis são identificados pela polícia

Troca de tiros aconteceu durante agenda do candidato ao governo de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos)

Dois homens suspeitos de participar do tiroteio em Paraisópolis, na zona sul de São Paulo, foram identificados pela Polícia Civil. A troca de tiros ocorreu durante agenda do candidato ao governo de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), que fazia uma visita ao Polo Universitário da comunidade na manhã desta segunda-feira, 17.

Um dos suspeitos identificado é Felipe Silva de Lima, de 27 anos, que morreu durante a troca de tiros. Segundo divulgado no Brasil Urgente, da Band TV, ele já tinha passagens pela polícia. Em 2010, quando tinha 15 anos, teria cometido roubo. Aos 16 anos, teve outras três passagens pela polícia, duas por porte de arma de fogo e uma por receptação de produtos roubados. Já em 2019, maior de idade, foi novamente levado à delegacia pela PM por desobediência.

Este ano, uma investigação do 89º Distrito Policial apontou Felipe como o responsável por dois roubos, e ele foi indiciado mesmo sem ser preso. De acordo com o Brasil Urgente, o suspeito foi gravado minutos antes da troca de tiros com outro homem na garupa da moto, enquanto ambos se comunicam com alguém pelo celular. Na sequência, começa o tiroteio.

Em outro vídeo, Felipe aparece já caido no chão, com um ferimento de bala no peito. Ele foi levado ao pronto-socorro, mas não resistiu. Já o homem que estava na garupa da moto foi identificado como Rafael Almeida e segue sendo procurado pela polícia, que tenta identificar outros suspeitos que possam ter envolvimento no crime.

Secretário não crava atentado

O secretário de Segurança Pública de São Paulo, João Camilo Pires, disse que considera “prematuro” afirmar que o candidato Tarcísio de Freitas foi alvo de um atentado em Paraisópolis. “É prematuro dizer isso”, afirmou ao ser questionado sobre o assunto durante uma coletiva de imprensa.

“Nós não descartamos nenhuma hipótese, contudo, até o momento não considero esse fato indo de encontro ao que o candidato falou”, acrescentou. “Até agora os dados são muito preliminares e nenhuma hipótese é descartada, mas dos dados que temos parece que houve um ‘ruído’ por causa da presença da polícia na área”, informou o secretário. “O tiroteio ocorreu de 50 a 100 metros de onde estava o candidato. Logicamente isso assusta a todos.”

Nas redes sociais, Tarcísio informou que foi “atacado por criminosos” durante visita à comunidade.

Related posts

Deixe uma resposta