Gleisi Hoffmann é hostilizada e ameaçada por bolsonarista em restaurante de Brasília

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – A deputada federal e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann (PT-PR), foi hostilizada e ameaçada por um militante bolsonarista na tarde de domingo (6) em um restaurante de Brasília, no Distrito Federal.

Gleisi registrou um boletim de ocorrência na 1ª Delegacia de Polícia, na Asa Sul.

A dirigente da legenda estava acompanhada outros integrantes do partido, entre eles o deputado federal eleito Lindbergh Farias (PT-RJ). Um homem com camiseta verde e com a palavra “Brasil” em amarelo então começou a insultá-los e ameaçá-los.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram o momento em que o homem é retirado do bar. Ele começa a falar “o malando está de volta”, em referente ao presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ele é contido, mas segue gritando que vai “dar uma porrada”.

O caso foi registrado como “vias de fato, injúria e ameaça”. A motivação do crime, segundo registrado no boletim de ocorrência, foi crime decorrente de violência político-partidária.

“Compareceu a esta Delegacia de Polícia uma mulher comunicando que na data de ontem, 06/11/2022, estava em um restaurante da Asa Sul com alguns parlamentares do Partido dos Trabalhadores quando foram injuriados e ameaçados”, afirma o registro.

Na sexta-feira, Gleisi Hoffmann e outros coordenadores da equipe de transição visitaram as instalações do Centro Cultural Banco do Brasil, onde serão instalados o presidente eleito Lula e o seu vice, Geraldo Alckmin (PSB). As atividades da equipe de transição começaram então na segunda-feira (7), com reuniões envolvendo técnicos.

Alckmin chegou a Brasília nesta terça-feira (8) e já participa de reuniões. A previsão é que Lula chegue à capital federal na noite do mesmo dia.

Gleisi, por sua vez, manteve reunião com o presidente nacional do MDB, deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP).

FOLHAPRESS

Related posts

Deixe uma resposta