Governadores anunciam uso da PM para desbloquear vias de bolsonaristas

Terça-feira é tomada por onda de protestos contra o resultado da eleição que elegeu Luiz Inácio Lula da Silva presidente da República

Tiago Ghizoni/Diário Catarinense

Em meio às paralisações dos caminhoneiros no país contra o resultado das eleições presidenciais, no último domingo (30/10), os governadores agora têm autorização do Supremo Tribunal Federal (STF) para o emprego das forças de segurança contra os manifestantes.

Confira a situação de outros estados:

Paraná

“A Polícia Militar do Paraná já está cumprindo a decisão do Supremo Tribunal Federal de desbloqueio das rodovias federais, estaduais e dos trechos urbanos. O direito de livre circulação no território nacional é uma garantia do povo brasileiro. É momento de pacificar o Brasil. As eleições de 2022 ocorreram de maneira democrática, e a decisão soberana das urnas precisa ser respeitada”, disse o governo do Paraná, em nota.

Rio Grande do Sul

De acordo com o governo estadual, foi montado um gabinete de crise para monitorar os bloqueios nas vias. Por meio dele, definiu-se que a Brigada Militar (a PM do Rio Grande do Sul) vai usar 1 mil policiais dos Batalhões de Choque para auxiliar a Polícia Rodoviária Federal (PRF) na operação. Após isso, o trabalho seguirá para as rodovias estaduais. A previsão é de que todas as estradas estejam com o tráfego liberado até as 18h.

O governador do Rio Grande do Sul, Randolfo Vieira Júnior (PSDB), afirmou nas redes sociais que os bloqueios são “ilegais” e que as policias vão atuar imeadiatamente.

Pernambuco

A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco informou que, “em cumprimento de decisão judicial, está atuando desde ontem em apoio à Polícia Rodoviária Federal, responsável pela fiscalização, segurança pública e garantia do fluxo em rodovias federais”.

“As operativas vinculadas à SDS, a exemplo da Polícia Militar, estão empregadas nos trabalhos. Não há registro, até o momento, de interdições em rodovias estaduais”, finalizou.

metropoles

Related posts

Deixe uma resposta