Governo da Paraíba disponibiliza UTI aérea e 55 leitos para pacientes do Isea em Campina

O Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, disponibilizou o avião do Grupo de Resgate Aeromédico (Grame) e 55 leitos para transferir pacientes da maternidade do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea), em Campina Grande, que sofreu um apagão de energia elétrica neste sábado (21). Até o início da tarde, dois recém-nascidos foram transferidos do Isea para o hospital de Queimadas e uma gestante para a Maternidade Peregrino Filho, em Patos.

A Rede Estadual Hospitalar identificou todas as unidades possíveis de receber pacientes entre UTI obstétrica, UTI neo, Unidades de Cuidados Intermediários Neo (UCIN) e enfermaria e coordenou na Central Estadual de Regulação Hospitalar (CERH) a transferência desses pacientes. O objetivo é “garantir o suporte à vida e os cuidados para gestantes e bebês. Para isso, usamos todos os recursos disponíveis para colaborar”, explicou o secretário de Saúde, Jhony Bezerra.

Jhony explicou que as novas solicitações que chegarem na central de regulação de leitos obstétricos serão redirecionadas às parturientes de risco habitual da 2ª macrorregião nas unidades de Picuí, Queimadas e Monteiro, enquanto as de alto risco, serão encaminhadas para a Maternidade Peregrino Filho, em Patos, Frei Damião e Edson Ramalho, na capital.

De acordo com os dados da CERH, foram 55 leitos disponibilizados, sendo 5 de UTI, 13 de UCIN, 7 UTI Neo, 1 UTI pediátrico e 32 enfermarias nos hospitais de Queimadas, Mamanguape, além do Arlinda Marques, Metropolitano, Trauma de João Pessoa, e nas maternidades Frei Damião, na Capital, e Peregrino Filho, em Patos.

 

Foto: UCIN de Queimadas que recebeu dois bebês

Related posts

Deixe uma resposta