Justiça solta mãe presa por matar a facadas suspeito de assassinar filho adolescente em Teresina

Em audiência de custódia, juiz homologou a prisão em flagrante, mas optou por não determinar a prisão preventiva.

O Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) concedeu, no domingo (24), liberdade provisória à mulher de 47 anos presa, na noite de sábado (23), após ter esfaqueado um suspeito de participação no assassinato do seu filho de 15 anos, no Bairro São Pedro, Zona Sul de Teresina.

Além da mulher, também foi colocado em liberdade o jovem de 20 anos também preso como suspeito pela morte de Gabriel Mateus das Neves, de 27 anos, conhecido como M-16.

Na decisão, o juiz Sílvio Valois Cruz Júnior não determinou pagamento de fiança e ordenou o cumprimento de medidas cautelares, como comunicar sobre ausências da comarca superiores a 30 dias.

E, ainda, informar mudança de endereço; comparecer aos atos do processo que forem intimados; apresentar-se bimensalmente na sede do juízo para informar e justificar atividades; não praticar qualquer ato de obstrução do processo ou do inquérito e não praticar nova infração penal dolosa.

O crime

A Polícia Militar do Piauí (PM-PI) informou que uma equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope) estava em rondas quando se deparou com o crime.

“A equipe avistou um tumulto e ao chegar à residência observou um homem em fuga em uma moto e uma senhora gritando, pedindo socorro, informando que um homem havia invadido sua casa e atirado contra seu filho Jamilson Campelo Aguiar, de 15 anos”, informou o relatório policial.

Um dos policiais entrou na residência com a mulher e encontrou um jovem de 20 anos, armado com uma faca, em luta corporal com Gabriel Mateus, conhecido como M-16, que já havia sido esfaqueado várias vezes.

Os policiais conseguiram imobilizar o homem armado, que soltou a faca. “A senhora apoderou-se de tal arma e passou a perfurar M-16 que já estava bastante ensanguentado, mas ainda com sinais vitais”, diz o relatório.

Segundo a polícia, Gabriel Mateus não resistiu às perfurações e morreu logo em seguida. Após tomar a arma da mulher, a polícia prendeu ela e o jovem de 20 anos.

Ambos foram levados para a Central de Flagrantes de Teresina para os procedimentos cabíveis e, no domingo (24), passaram pela audiência de custódia que os colocou em liberdade provisória.

O caso será investigado pelo Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) e os suspeitos podem responder em liberdade.

g1

Related posts

Deixe uma resposta