Morre criança que ficou 18 horas presa em buraco de 8 metros de profundidade em Minas Gerais

Segundo bombeiros, ele foi resgatado com rebaixamento do nível de consciência e suspeita de parada cardiorrespiratória.

Pedro Augusto Ferreira Alves, de 8 anos, não resistiu e morreu após cair em um buraco de 8 metros, onde ficou preso por 18 horas, em Carmo do Paranaíba (MG). O óbito foi confirmado pela Prefeitura do município na manhã desta segunda-feira (22).

Depois de ter sido retirado do buraco pelo Corpo de Bombeiros, em um resgate que durou mais de 16 horas, Pedro foi levado para atendimento hospitalar. Segundo a corporação, o garoto apresentava rebaixamento do nível de consciência e suspeita de parada cardiorrespiratória no momento do salvamento.

Resgate de Pedro Augusto Ferreira Alves, de 8 anos, que caiu em um buraco em Carmo do Paranaíba — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Os socorristas tentaram reanimá-lo, mas ele não resistiu e morreu. Até a última atualização desta reportagem, não havia a confirmação se a morte foi a caminho do hospital ou na unidade de saúde.

Resgate varou a noite em Carmo do Paranaíba — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

O acidente

Segundo o Corpo de Bombeiros, no local do acidente há uma obra, onde a criança costumava brincar. A suspeita é que o terreno não estava cercado ou sinalizado.

O trabalho de resgate foi iniciado por volta das 17h de domingo e era classificado pelos bombeiros como “meticuloso”, pois havia risco de desabamento de terra, já que trata-se de uma área de aterro e, por isso, há maior instabilidade do solo.

A mãe de Pedro, Paloma Barbosa, acompanhou o resgate.

“Ele disse ‘mamãe, eu vou brincar’. Ele estava com a prima dele quando vieram para cá. Ela contou que ele escorregou […] Tá muito difícil, tô muito aflita, tô sem palavras”, comentou a mãe antes da confirmação da morte do garoto.

Bombeiros trabalham em resgate de criança em Carmo do Paranaíba — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Por g1 Triângulo e Alto Paranaíba — Carmo do Paranaíba

Related posts

Deixe uma resposta