Mulher é presa suspeita de contratar dois homens para roubar e agredir marido após traição, diz PM

Crime aconteceu em Mineiros. Homem fingiu desmaio para escapar das agressões e teve carteira, celular, chave do carro levados.

Uma mulher de 27 anos foi presa suspeita de contratar dois homens para roubar e agredir o marido após traição, em Mineiros, região sudoeste de Goiás. De acordo com a Polícia Militar, os três confessaram o crime.

O g1 não localizou a defesa dos suspeitos até a última atualização desta reportagem.

O caso aconteceu na quarta-feira (16), no Setor Taninho. Os suspeitos de executar o crime foram encontrados logo após o crime e também foram presos.

Conforme os policiais, o marido da mulher chamou a polícia e denunciou que estava no carro com a esposa quando dois homens o golpearam na nuca, o seguiu de motocicleta e, em uma rua isolada, pediu para que ele e a mulher descessem do carro.

Segundo o relato, um dos suspeitos apontou uma arma para o homem e os dois o agrediram com chutes, socos, e golpes de capacete. Nesse momento, ele fingiu ter desmaiado para escapar. Ele contou que durante as agressões um dos suspeitos chegou a dizer “isso é para você não mexer mais com a mulher dos outros”.

Depois que ele fingiu o desmaio, os suspeitos fugiram levando a carteira, o celular dele e da esposa e a chave do carro.

Confissão

Os policiais contaram que a esposa do homem estava calma durante o depoimento, o que despertou a atenção da equipe. Após localizar os suspeitos e os interrogarem, eles confessaram o crime e um deles afirmou que era “irmão de criação” da mulher e que ela o pagou para agredir o marido dela.

Segundo o suspeito, à princípio, ela encomendou a morte do marido, mas ele a convenceu de que a agressão bastava. Ele disse que o pedido foi motivado por brigas e traição. Ao ser interrogada, a mulher também confessou crime.

Um dos suspeitos tem passagem por tráfico de drogas, posse de drogas, desacato e direção perigosa. O outro tem passagem por furto, ameaça e atos agressivos.

O g1 questinou a Polícia Civil se os três continuam presos, mas não houve retorno até a última atualização desta reportagem.

Por g1 Goiás

Related posts

Deixe uma resposta