Padrasto confessa que cometeu abuso sexual contra Júlia antes de matá-la dentro de casa e ocultar corpo em João Pessoa

Padrasto confessa que cometeu abuso sexual contra Júlia antes de matá-la dentro de casa e ocultar corpo em João Pessoa

O homem passou por audiência de custódia nesta quarta-feira (13) após ter sido preso ontem (12) ao confessar que assassinou a criança da família.

Até ontem ele negava ter cometido abuso sexual contra Júlia, mas hoje confessou na audiência de custódia.

Francisco Lopes, padrasto de Júlia dos Anjos Brandão, confessou que cometeu abuso sexual contra a enteada de 12 anos antes de matá-la estrangulada dentro de casa e esconder seu corpo em um ‘cacimbão’ próximo. O crime no bairro de Gramame, em João Pessoa, e a menina estava desaparecida desde a quinta-feira (7). O homem passou por audiência de custódia nesta quarta-feira (13) após ter sido preso ontem (12) ao confessar que assassinou a criança da família.

Francisco alegou que matou com receio de que Júlia fizesse algum mal à própria mãe e ao bebê em gestação, filho do casal. Ele relatou que a menina estaria insatisfeita com a gravidez da mãe e com a chegada de uma nova criança na família.

Além disso, até ontem ele negava ter cometido abuso sexual contra Júlia, mas hoje confessou na audiência de custódia.

O padrasto teve a prisão em flagrante convertida em prisão preventiva e vai ser encaminhado ao Presídio do Roger, na Capital.

Saiba mais:

Caso Júlia: suspeito de matar enteada de 12 anos vai para presídio em João Pessoa

 

clickpb

Related posts

Deixe uma resposta