Paraíba lidera, no Nordeste, denúncias de assédio eleitoral no trabalho e procurador diz que processos seguem mesmo após eleições

Em entrevista ao Arapuan Verdade, nesta segunda-feira (24), o procurador do Trabalho no estado, Eduardo Varandas, disse que a sociedade paraibana demonstrou que quer combater esse crime.

A Paraíba lidera, no Nordeste, o número de denúncias de assédio eleitoral no trabalho. Em entrevista ao programa Arapuan Verdade, nesta segunda-feira (24), o procurador do Trabalho no estado, Eduardo Varandas, disse que a sociedade paraibana demonstrou que quer combater esse crime e que os procedimentos de investigação e judicialização seguirão em andamento mesmo após o segundo turno das Eleições 2022.

“Mesmo acabando as eleições, os procedimentos não perdem o objeto. Aqueles atos atentatórios que ocorreram no período das eleições continuarão sendo investigados, serão denunciados à Justiça e as pessoas serão passíveis de punições não só na área trabalhista, como também a gente reporta à Procuradoria Regional Eleitoral para a questão criminal. Quem cometeu o ato vai ter que pagar por ele”, destacou o procurador, à reportagem do Arapuan Verdade, conforme apurou o ClickPB.

O procurador destacou a atuação do Ministério Público do Trabalho na Paraíba (MPT-PB). “Nós somos a única Procudoria do Trabalho no Brasil que colocou uma notificação no ar, na TV, notificando que o assédio era crime e que seria investigado pelo Ministério Público e abrimos um canal de denúncia. Então a sociedade nos respondeu.”

Ainda segundo o procurador, “felizmente, eu digo, porque isso revela uma consciência cívica da sociedade de que esse crime não pode acontecer. Agora, infelizmente, esse é o retrato de um país perseguidor, de um país extremamente voltado ao ‘cabresto eleitoral’, agora nas relações de trabalho, e não é a Paraíba que está se destacando, é o país inteiro vitimado por uma eleição extremamente violenta, onde o direito individual de escolher qualquer que seja o candidato, vem sendo vilipendiado e isso compromete a democracia e nós não podemos admitir.”

O MPT-PB vai priorizar as investigações sobre assédio no trabalho. “Nós estaremos de olho. A Procuradoria Geral do Trabalho fez uma recomendação para que os procuradores priorizem de forma absoluta os procedimentos investigatórios que tenham como objetivo o assédio eleitoral. Os procuradores estão atuando, temos medidas judicializadas, nós já temos multas imputadas, alguns procedimentos ainda estão sendo investigados. Todas as denúncias têm sido observadas com todo zelo e cuidado pelos colegas do MPT-PB”, disse o procurador.

clickpb

Related posts

Deixe uma resposta