PM é preso após encostar parte íntima em mulher dentro de um mercado

PM é preso após encostar parte íntima em mulher dentro de um mercado

 

A Polícia Militar da Paraíba (PMPB) vai abrir um procedimento interno contra o cabo da PM que foi preso no Ceará suspeito de importunação sexual, após encostar a parte íntima dele em uma mulher que fazia compras em um supermercado. O crime aconteceu na sexta-feira (25), na cidade de Mauriti, no interior do Ceará, e câmeras do circuito de segurança do estabelecimento flagraram a ação.

As imagens mostram o policial em um setor do mercado quando duas mulheres chegam e observam uma prateleira. O cabo da PM da Paraíba, à paisana, se aproxima e encosta na vítima, que se assusta com a atitude.

Cabo da PM de Paraíba foi preso no Ceará por importunação sexual.

A vítima, que tem 19 anos, acionou a Polícia Militar do Ceará, que realizou buscas e encontrou o suspeito em frente a uma agência bancária. Ele foi levado para a Delegacia Regional de Polícia Civil de Brejo Santo e autuado por importunação sexual.

Conforme a PMPB, o policial tem 37 anos de idade e está há 13 anos na corporação. O cabo, que não teve o nome divulgado, era lotado no 13º Batalhão, na cidade de Itaporanga, no Sertão paraibano, e no início deste mês havia voltado ao trabalho, em funções administrativas, após passar um período afastado para tratamento psicológico.




cabo teve a liberdade provisória concedida no sábado (26), um dia depois do caso. Conforme a decisão da Justiça do Ceará, além do pagamento de fiança no valor de dez salários mínimos, o equivalente atualmente a R$ 12.120, o policial deverá cumprir medidas cautelares, como:

  • comparecimento mensal em juízo;
  • proibição de frequentar bares, serestas, casas noturnas, e estabelecimentos congêneres, bem como de se apresentar embriagado em locais públicos;
  • recolhimento domiciliar no período noturno e nos dias de folga;
  • proibição de aproximar-se (distância mínima de 250 metros) e manter contato com a vítima.

G1

Related posts

Deixe uma resposta