​Polícia Civil prende, no Rio de Janeiro, mulher acusada de ser autora de homicídio de policial aposentado em João Pessoa

Segundo a Polícia Civil da Paraíba, a ação foi realizada por meio da Delegacia de Crimes Contra a Pessoa (DCCPES), em ação integrada com a Unidade de Inteligência da Polícia Civil do Rio de Janeiro e 35 DP de Campo Grande/RJ.

A Polícia Civil da Paraíba e a Polícia Civil do Rio de Janeiro realizaram na manhã de hoje (31) a terceira fase da operação ‘Protect’, que culminou com o cumprimento de um mandado de prisão contra uma mulher transexual acusada de ser a última executora do homicídio do policial civil aposentado Luiz Abrantes de Queiroz.

Segundo a Polícia Civil da Paraíba, a ação foi realizada por meio da Delegacia de Crimes Contra a Pessoa (DCCPES), em ação integrada com a Unintelpol da Paraíba, Unidade de Inteligência da Polícia Civil do Rio de Janeiro e 35 DP de Campo Grande/RJ. O mandado havia sido expedido pela 1ªª Vara do Júri da Capital.

A presa fugiu para o Rio de Janeiro após o fato, no dia 04 deste mês, segundo a PC.

“A suspeita, uma mulher transsexual, iniciais do nome social D.P., é apontada como a pessoa que intermediou a negociação entre a mandante do crime, a companheira da vítima, e o principal executor, no entanto, é apontada pelo suposto autor da facada como sendo a executora do homicídio, tendo desferido o golpe de arma branca que ceifou a vida da vítima”, esclareceu a delegada Luísa Correia Lima, da Delegacia de Crimes Contra a Pessoa de João Pessoa.

clickpb

Related posts

Deixe uma resposta