Rússia ataca Ucrânia pela terra, pelo ar e pelo mar

Rússia ataca Ucrânia pela terra, pelo ar e pelo mar

Militares russos dominam aeroporto perto de Kiev

Um assessor da presidência da Ucrânia afirmou que o aeroporto de Hostomel foi capturado por forças russas.

O aeroporto militar de Hostomel fica a cerca de 23 quilômetros da capital de Kiev.

Mais cedo, autoridades militares ucranianas haviam dito que paraquedistas russos desceram de 20 helicópteros e 8 aeronaves Mi-8 e começaram a combater os ucranianos para controlar o aeroporto.

Vídeos obtidos pelo jornal “New York Times” mostram que houve uma luta intensa na região do aeroporto —nas imagens, é possível ver helicópteros voando acima do rio Dnieper em direção à cidade de Hostomel.

Em um vídeo divulgado pelas forças armadas da Ucrânia, se vê, aparentemente, um desses helicópteros sendo derrubados.

Chernobyl é tomada pelos russos

O conselheiro da Presidência da Ucrânia, Mykhailo Podolyak, informou que a usina nuclear de Chernobyl foi capturada pelas forças russas.

Ele disse que “não é possível garantir a segurança da área” onde há um depósito de resíduos nucleares e afirmou que essa é uma das “ameaças mais sérias para a Europa no momento”.

Acidente nuclear

Um dos reatores da usina de Chernobyl, na Ucrânia – então sob comando soviético –, explodiu em abril de 1986.

As emissões nucleares do acidente foram equivalentes a 400 bombas de Hiroshima.

Na ocasião, 30 pessoas morreram.

A região ao redor da antiga usina não é habitável e é conhecida como Zona de Exclusão.

OSCE, organização que monitorava a guerra civil na Ucrânia, deixará o país

A Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) anunciou nesta quinta-feira (24) que decidiu retirar todos os seus membros da Ucrânia assim que isso puder ser feito de forma segura,

A decisão foi informada por um diplomata da OSCE à agência de notícias Reuters.

Membro da missão especial de monitoramento da OSCE anda ao lado de comboio das forças ucranianas em Paraskoviyvka, na Ucrânia, em 2015

Membro da missão especial de monitoramento da OSCE anda ao lado de comboio das forças ucranianas em Paraskoviyvka, na Ucrânia, em 2015 (Foto: Gleb Garanich/Reuters)

Mais cedo, a entidade já havia dito que iria se adaptar às novas condições, após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Há centenas de observadores da OSCE há anos na Ucrânia. Eles eram encarregados de monitorar a guerra civil no leste do país, onde havia disputas entre regiões separatistas e o governo ucraniano.

A secretária-geral da OSCE afirmou que a segurança dos trabalhadores da organização é a maior prioridade.

Rússia diz ter atingido 83 alvos na Ucrânia

O Ministério da Defesa da Rússia disse que destruiu 83 alvos na Ucrânia, segundo a agência russa de notícias, Interfax.

Reino Unido anuncia mais sanções contra a Rússia

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, anunciou mais uma série de sanções contra a Rússia. As novas medidas afetam bancos russos e impedem que o país faça transações em libras esterlinas.

“Vamos apertar a Rússia, vamos tirar ela da economia global”, disse Johnson ao Parlamento.

Ele também anunciou sanções contra Belarus, país aliado de Moscou.

Johnson chamou o presidente russo de “agressor” e disse que Putin sempre teve a intenção de invadir a Ucrânia.

“Putin tem que ser condenado aos olhos do mundo, não dá para tirar o sangue do povo ucraniano de suas mãos”, disse Johnson.

“Tentamos a diplomacia até a última hora”, disse o premiê.

Ele anunciou a transferência do corpo diplomático da embaixada de Kiev para Lviv, no oeste da Ucrânia, e anunciou mais um pacote de sanções.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Polícia detém 705 em protestos na Rússia

Ao menos 705 pessoas foram presas enquanto participavam de protestos em diversas cidades da Rússia contra a invasão na Ucrânia.

O balanço foi feito pela organização OVD-Info, que costuma acompanhar a repressão do governo russo contra manifestantes.

Ao menos 40 cidades, incluindo a capital Moscou, registraram protestos contra a decisão do presidente Vladimir Putin de autorizar a investida.

Suécia abandona embaixada em Kiev

O ministério das Relações Exteriores da Suécia acaba de informar que vai abandonar a embaixada do país em Kiev.

Os diplomatas que serviam na Ucrânia serão transferidos para a Polônia temporariamente, disse a chanceler Ann Linde em nota.

Já a diplomacia da Estônia alertou a seus cidadãos que deixassem a Ucrânia – ou que evitassem visitar o país.

Países vizinhos alteram serviços consulares

A Lituânia avisou que não está mais concedendo vistos para cidadãos da Rússia depois da invasão da Ucrânia.

Já a Polônia fechou alguns de seus consulados na Ucrânia —os escritórios de Kiev e Lviv continuam a operar, mas as demais representações polonesas suspenderam os serviços.

G1

Related posts

Deixe uma resposta