Polícia Federal diz que Bolsonaro não cometeu prevaricação no caso Covaxin

PF entendeu que não cabe ao presidente comunicar eventuais crimes a órgãos de controle. Investigação começou depois que irmãos Miranda contaram que relataram a Bolsonaro suspeitas na compra da vacina indiana. A Polícia Federal concluiu que o presidente Jair Bolsonaro não praticou o crime de prevaricação no caso da negociação para compra da vacina indiana Covaxin. As investigações têm como base os depoimentos dados à CPI da Covid pelo funcionário do Ministério da Saúde Luís Ricardo Miranda e pelo irmão dele, o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF). Aos senadores da CPI, os irmãos disseram que se encontraram…

Read More