PF faz busca e apreensão em endereços de suspeitos de hackear Janja

O ministro do STF Alexandre de Moraes autorizou a Polícia Federal a fazer buscas e apreensões em endereços de suspeitos de hackear o perfil da primeira-dama Janja da Silva no X (antigo Twitter).

As equipes da PF estão cumprindo, neste momento, quatro mandados em Minas Gerais.

A conta da socióloga Janja da Silva no X foi invadida por volta das 21h30 desta segunda-feira (11/12). A partir das 21h37, o hacker começou a publicar mensagens ofensivas contra a primeira-dama, Lula e Alexandre de Moraes. Além de marcar o perfil da Polícia Federal nas postagens, o invasor interagiu com os usuários e disse: “Não estou nem aí. Não acredito que vou ser preso”. O Palácio do Planalto acionou a Polícia Federal, e o perfil de Janja foi bloqueado na plataforma a pedido da PF.

Em nota, a primeira-dama afirmou: “Na noite de ontem, os ataques de ódio e o desrespeito que eu sofro diariamente chegaram a outro patamar. Minha conta do X foi hackeada e, por minutos intermináveis, foram publicadas mensagens misóginas e violentas contra mim. Posts machistas e criminosos, típicos de quem despreza as mulheres, a convivência em sociedade, a democracia e a lei”. E completou: “É comprovado que nós, mulheres, somos as que mais sofrem com os ataques de ódio aqui nas redes. O que eu sofri ontem é o que muitas mulheres sofrem diariamente”.

A Advocacia-Geral da União cobrou providências do X em uma notificação extrajudicial. O órgão pediu que a conta siga bloqueada até a conclusão das investigações, e que a rede social preserve todos os dados do perfil, a fim de que sejam usados na apuração da Polícia Federal.

metropoles